Questão de Tempo

Já venho falando em minhas palestras em empresas que estamos em um momento de transição no UNIVERSO

ELE já não mais aceitará que as coisas não estejam alinhadas, com o propósito da existência humana.

Todos devemos ser Gratos ao que está acontecendo nas questões políticas em nosso país pois é  apenas um processo de LIMPEZA

Assim como um Furúnculo inflamado enquanto não extirparmos a raiz, a dor e inflamação continuará. Portanto a Tudo dai Graças, pois ao contrario de que muitos pensam que estamos no auge da corrupção e imundícia, na verdade estamos sim no auge da Limpeza.

Estamos no caminho certo e agora nós Cidadãos  de Bons Princípios e de Bons Costumes devemos nos manter firmes no propósito de reconstrução de nosso Amado País.

Em processos de Mentoria Holo-Sistêmica orientamos as pessoas que tudo no Universo e em nossas Vidas devem seguir com Coerência.

É fato que não estamos vivendo essa realidade no momento, portanto tudo ha de se alinhar pouco a pouco a cada dia.

Possam nossos filhos sentirem Orgulho de cada Pai e da Nação onde Vivem.

Cabe a nós pararmos de ficar reclamando e nos movimentarmos no sentido do que seja Justo e Perfeito a todos envolvidos

Desejos de sucesso a você leitor, e estou a disposição para orientações.

 

Dimitrios Asvestas

EU SOU

Dimitrios Asvestas

WhatsApp 11 98100-9390

Celular: 11 95910-1587

www.dimitrios.com.br

dimitrios@thormentoria.com.br

Mentor Holo-Sistêmico

Palestrante, escritor

Educador Financeiro especialista em planejamento de vida.

Uma vida com mais sentido

Tenho observado atualmente que as pessoas tem vivido uma vida de corre-corre, tropeços, ansiedade, angustia, estresse, depressão e tantos outros sentimentos e emoções similares.
Já é sabido que depressão é o resultado de viver constantemente remoendo o passado e situações de infelicidade. Estresse tem a ver com uma vida onde o “excesso” de presente e cobranças continuas levam as pessoas a um viver estressante com consequências até doentias.
Finalmente pessoas que estão constantemente ansiosas, são aquelas que estão permanentemente vivendo pensando no futuro e suas possibilidades incertas.
Há inclusive aqueles que conseguem estar em depressão, vivendo uma vida de estresse e ansiosas pelo futuro ao mesmo tempo.
Os reflexos são claros e inevitáveis. Problemas com saúde, dores pelo corpo, obesidade, dores de cabeça, até desenvolvimento de doenças mais graves como câncer.
Uma das formas mais importantes de alinhar a vida e eliminar as emoções ou estados acima citados, está relacionada com processos meditativos diários, e principalmente reaprender a “viver o Agora”.
Viver cada momento presente como um presente que a Vida nos oferece. Viver diariamente com sentimento de Gratidão pela oportunidade da vida que nos é concedida.
Portanto, recomendo que comece a prestar atenção a cada instante de seu dia a dia de maneira consciente. Desligue o piloto automático. Viva um dia de cada vez. E assim começamos a construir uma vida com mais sentido.

Desejos de sucesso a você leitor, e estou à disposição para orientações.


EU SOU
Dimitrios Asvestas

WhatsApp 11 98100-9390
Celular: 11 95910-1587
www.dimitrios.com.br
dimitrios@thormentoria.com.br
Mentor Holo-Sistêmico
Palestrante, escritor
Educador Financeiro especialista em planejamento de vida.

Quando nossos jovens jogam com a morte

Em um belo país de temperaturas baixas e de grande extensão territorial, onde são registrados um dos maiores índices de divórcios do planeta, e há uma notável disponibilidade e aceitação de bebidas alcóolicas, surgiu por volta da década de 90 um jogo chamado roleta russa. Os participantes colocavam apenas uma bala no tambor do revólver e giravam-no, apertando o gatilho contra a cabeça. O azarado morria. É nesse mesmo país que surge agora um novo jogo mortal. O nome, Baleia Azul, é uma referência a uma música, que possui um trecho que diz “Por que gritar, quando ninguém ouve?”.

Tão sorrateiro quanto à própria morte, o jogo chegou até jovens de diversos países, inclusive do Brasil. A questão que nos incomoda, e que mal conseguimos responder diante de uma realidade tão lastimosa como essa é: Não estamos ouvindo esses jovens? E como faremos isso, se temos diante de nós essa baleia, tão grande e imponente, sendo a própria expressão da dor?

Na psicanálise, chamamos o instinto inconsciente que busca a morte ou a destruição de Tânatos, um deus grego alado, com vestes negras e que é a própria personificação da morte. Ele sempre irá nos lembrar de nossa finitude, do quanto nossa existência é efêmera e passageira, e não importa o que aconteça, ninguém escapará de seu aniquilamento.

O suicídio, assim como a morte, é um pensamento humano. Se não pensamos em nos matar em algum momento de nossa existência, cogitamos ao menos a possibilidade de morrer, de não existir, de acabar de alguma forma com a dor que sentimos. Para os jovens não é diferente, e está somada a outras questões características dessa fase da vida, como a apatia, frequente comparação com os outros, necessidade de independência e liberdade, problemas com autoestima e mais uma série de aspectos que geram confusão. Quem já foi adolescente, sabe bem de tudo isso.

Acredito que temos nesse cenário diferentes realidades. Nem todo jovem que participa de jogo quer se suicidar. Além de todas as características acima, o adolescente tem também uma tendência a comportamentos imitativos, e a necessidade de fazer parte de um grupo, o que pode levá-lo a fazer coisas que não deseja de fato.

Por outro lado, não há dúvida que há os participantes que realmente querem acabar com a própria vida. E por quê? Poderia tentar responder citando dezenas de teóricos, porém os próprios fatos nos ajudam: na Rússia, alguns curadores responsáveis pelo jogo foram detidos, e descobriram que eles possuem histórico de maus tratos, abusos na infância, além da possibilidade de sofrer de distúrbio bipolar. Ou seja, estão doentes. Para coibir ações relacionadas ao jogo, o governo russo chega a derrubar sites por uma simples menção ao suicídio. Mais uma vez escolhem lidar com os sintomas, ignorando a raiz deles.

Eu gostaria realmente de chegar ao fim desse texto com uma solução. Seria uma bela receita de bolo para distribuir por aí. Mas quando lidamos com pessoas, cada uma possui um vasto universo particular, e suas necessidades são diferentes. Que tal começarmos pela não culpabilização dos pais, somados ao acolhimento, procura de atendimento terapêutico e uma escuta compreensiva? Seria um grande passo em direção à vida. Mas não nos demoremos. Eles não vão gritar, pois acham que ninguém ouve.

 

CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA (CVV) – FONE: 141

O CVV oferece apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente, sob total sigilo.

TARÔ E A CARTA DA SEMANA – DOIS DE PAUS

Quando o naipe de paus aparece em uma jogada, alerta sobre situações em que o consulente será testado através de conflitos e escolhas. O consulente deve usar suas habilidades e experiências e agir pela razão e intuição, buscando o equilíbrio.

A carta Dois de Paus representa a duplicidade de energia e poder sem limites, enaltecendo a nossa ambição e necessidade simultânea de demonstrarmos a nossa autoridade e domínio.

Aspectos positivos: riqueza, equilíbrio, concretização dos objetivos, confiança, consciência.

Aspectos negativos: doença, melancolia, medo, conflitos, descontentamento.

AMOR: A carta representa a necessidade de superar desafios, assim como de conquistar ou concretizar algo que já havia sido iniciado. Ela traz um alerta para possíveis perdas e simboliza que é preciso atenção a tudo e todos que estão à sua volta.

SAÚDE: Cuidado com acidentes por excesso de energia. Redobre sua atenção e procure manter hábitos saudáveis à mesa.

TRABALHO: Necessidade de planejamento. É preciso parar e analisar, seja qual for a situação. É necessário traçar um plano de metas, com muita objetividade, somente assim será possível transformar as ideias em ação.

Dica: Lembre-se que uma certa leveza, e relevar pequenas desavenças são necessárias, pois pequenos erros e desentendimentos podem custar muito. Buscar o equilíbrio interno também, é fundamental. Às vezes, desejar atingir metas a todo custo pode ser perigosos e pode nos faz perder a ligação espiritual.

 

Para nunca se decepcionar

Hoje decidi tratar de um tema diferente. Observo em meu dia-a- dia, em trabalhos de Coaching e Mentoria Holo-Sistêmica, que muitas pessoas se queixam sobre como se sentem decepcionadas uns com os outros.

Na realidade o que acontece com nós seres humanos, que nos decepcionamos?

A verdade é que desenvolvemos um hábito nocivo: criamos expectativas em relação aos outros.

Muitos pais criam fortes e altas expectativas quanto aos filhos. Desejos de que sejam os melhores na escola, no trabalho, nos relacionamentos e assim por diante.

Na maioria dos casos observo, que transferimos para os outros as nossas próprias ansiedades e desejos não realizados, e assim temos a esperança que o “outro” corresponda a realização de nossas vontades.

No entanto, como cada um tem seu próprio perfil e formação, em muitas situações observamos que o “outro” não responde da maneira que desejamos e a partir desse momento surge a decepção.

Assumimos como se isso fosse algo “pessoal”, nos ressentimos, magoamos e como consequência nos decepcionamos, pois o “outro” não respondeu a expectativa do meu desejo ou anseio.

Uma fórmula bastante simples para viver uma vida mais plena e mais livre: é simplesmente não criar expectativas.

Apenas e tão somente faça o que tem que ser feito. Faça o seu melhor e não fique na expectativa do reconhecimento. Sinta-se grato pela oportunidade em poder servir, e continue sua jornada, sem esperar algo em troca.

É simples, mas necessita de treino, pois não é fácil administrar esse estado emocional de desapego.

Fomos impelidos a esperar algo em troca e abandonar esse hábito é um desafio.

Viver uma vida com sentido, requer desenvolver certas habilidades e uma delas, senão a principal, é

exatamente essa: Não crie expectativas em relação as pessoas.

Reflitam … estou a disposição para orientações.

 

EU SOU

Dimitrios Asvestas – celular 11 95910-1587 * WhatsApp +55 11 98100-9390

Dimitrios Asvestas

www.dimitrios.com.br

dimitrios@thormentoria.com.br

Mentor Holo-Sistêmico

Palestrante, escritor

Educador Financeiro especialista em planejamento de vida.

Tarô e a carta da semana – A Sacerdotisa

Para esta semana temos a carta do Taro – A Papisa ou A Sacerdotisa – uma mulher sábia, uma espécie de profetisa, que possui vasto conhecimento e intuição. Sabe agir da forma adequada em todas as situações.

No Trabalho – Esta carta representa a serenidade e também o estudo e o mistério. Geralmente, quando esta carta aparece, significa que você está preparado para resolver as questões que se lhe apresentam e sabe fazê-lo com sabedoria, mestria e inteligência. Mantenha os seus planos em segredo, sem se mostrar demasiado, até que as circunstâncias lhe sejam mais afortunadas.

No Amor – Preste atenção na sua intuição, para saber compreender os sinais que recebe das pessoas amadas. A sua voz interior é a sua mais sábia conselheira. A Papisa / A Sacerdotisa recomenda prudência. Pense antes de agir, não se precipite nem aja por impulso, procure primeiro saber muito bem aquilo que está à sua volta e com o que pode contar.

Na Saúde – O que te motiva? Quando você age conforme suas convicções e valores, o seu corpo corresponde com mais disposição e ânimo para exercer as suas tarefas. Equilíbrio emocional reflete em saúde física.

Quais as vantagens do sabonete íntimo?

Conheça mais sobre o pH da região íntima da mulher, como escolher o produto ideal

e a frequência para utilizá-lo.

 

A rotina de cuidados da mulher inclui o uso de dezenas de produtos específicos para cada área do corpo. No caso do sabonete íntimo, muitas não o colocam na lista, pois não se preocupam ainda em usar o sabonete adequado para essa região.

Especialistas da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) recomendam “o uso de produtos cosméticos adequados para cada parte do corpo para minimizar riscos alergênicos e irritantes”.

 

1. Por que usar sabonete íntimo?

Para o ginecologista Paulo Giraldo (CRM 36.090-SP), a mulher precisa estar atenta à higiene da região genital. Ele conta que os sabonetes íntimos são especialmente desenvolvidos para essa área e podem favorecer as condições locais.

– Eles devem ter baixa detergência, pH adequado à pele e, de preferência, serem líquidos – explica o médico.

2. O pH da região íntima é especial?

Sim, ele é levemente mais ácido do que no resto do corpo. O pH 7 é neutro; acima disso, é alcalino; abaixo, é ácido. Na nossa pele, o pH varia entre 5 e 6, e a região íntima externa tem pH entre 3 e 5. A acidez da região é um mecanismo de proteção que inibe a proliferação de bactérias. Exatamente por isso é tão importante usar um sabonete específico, que não afete esta proteção natural.

3. Qual deve ser a frequência de uso?

Em clima quente, diariamente, de uma a três vezes por dia. Já em clima frio, pelo menos uma vez ao dia.

4. Como escolher o produto ideal?

É importante prestar atenção na acidez ou alcalinidade do sabonete. O produto deve ter pH entre 3 e 5, como é o da própria área, para limpar sem agredir, mantendo as defesas naturais e proporcionando uma sensação de frescor. Sabonetes comuns e bactericidas não são indicados para esse fim, porque são alcalinos e podem desequilibrar o pH, prejudicando a proteção natural da pele.

Se tudo estiver bem equilibrado na região, as células funcionam bem. Quando não, as defesas locais ficam comprometidas.

– Os sabonetes sólidos habitualmente são alcalinos e podem agredir a pele de algumas mulheres. Por isso, os produtos para a região íntima deveriam ser líquidos preferencialmente – orienta Giraldo.

5. O que é Pró-vitamina B5?

A Pró-vitamina B5 é o dexpantenol, um ativo que hidrata a pele e as mucosas por suas propriedades higroscópicas (ou seja, que absorvem a água). Além disso, ele protege e auxilia na renovação da pele e age na síntese de lipídios, mantendo íntegras a barreira cutânea e a das mucosas. Para a mulher, o resultado é a sensação de frescor e maciez.

Por Dermacid/G1

Tarô e a carta da semana – o Eremita

Como todas as cartas, o Eremita tem seu  lado positivo e o lado menos positivo (se podemos aprender até com as perdas, todos os lados são bons). Frequentemente a carta o Eremita significa: Procura e Solidão.

No Trabalho – Este é um momento de reflexão, não tome decisões precipitadas, volte-se para dentro de si e encontre as respostas para os conflitos que precisa enfrentar. O Eremita simboliza a importância de ouvir a sabedoria interior. Fale menos, ouça mais. Confie na sua intuição.

Na Saúde – Esta Carta pede que você desacelere o ritmo e avalie se está tomando decisões acertadas com os teus verdadeiros desejos. Dores de cabeça, de estômago, insônia, ansiedade podem ser sintomas de que você precisa mudar. O seu corpo sinaliza aonde pode estar o problema e só você tem o poder para encontrar o caminho da saúde e do bem estar.

No Amor – Se estiver num relacionamento avance apenas quando estivermos seguro (a) em relação ao que deve fazer. As palavras de ordem são prudência, procura de respostas e recolhimento para ouvir a sua voz interior. Se estiver num relacionamento, lembre-se que é melhor estar só do que mal acompanhado, pense bem no que quer e aproveite o momento para estabelecer seus próprios limites.

 

Abusadores de nós mesmos

Quando alguém “ama” demais, ou melhor dizendo, quando alguém ama a ponto de não se amar, já não é amor. É um pedido de socorro que a pessoa jamais pedirá. E aí, quando nos deparamos com situações tão degradantes, achamos que entendemos a dor do outro, sem compreendermos sequer a nossa. Ao invés de estendermos uma mão, apontamos os dedos. Talvez por desencargo de consciência, cada um escreve seu textão, culpa da maneira que pode a sociedade, julga as decisões alheias, abrindo todas as feridas sem ter agulha e linha para fechá-las.

Gritando assim, sentimos que fizemos nossa parte. Ficamos satisfeitos. Mas a menina chora, desespera-se, e no final do dia, ela está novamente com ele. Quando colocamos a culpa em um conceito, como o machismo, tornamos tudo mais fácil para todos, pois depositamos a responsabilidade de uma ação injustificável em cima de uma ideia. E uma ideia, já diriam os filósofos, não poderá jamais ser combatida.

É assim que o senhor que passa a mão em sua colega de trabalho justifica seu ato: ele cresceu em uma sociedade machista, suas ações são fruto dela. Não cortamos o mal pela raiz. Um escritor francês mencionou certa vez que, antes de atacar um abuso, devemos pensar se é possível destruir seus alicerces. E onde estão as colunas de sustentação desse problema?

As pessoas estão cada vez mais doentes e não conseguem construir relações. Relacionamentos abusivos existem às pencas, e não é exclusivamente uma questão de gênero. Aliás, esse é um ponto que merece atenção: vejo muitos homens que sofrem abusos em seus relacionamentos, principalmente psicológicos. Mas nem em sonho eles se abrirão sobre isso. Não poder sair com amigos, ser podado em suas relações sociais e ser constantemente atacado com desconfiança pela parceira é uma vergonha grande demais para ser assumida, um atestado de fraqueza.

Aceitar a declaração insensata de que “todo homem é um estuprador em potencial” é concordar que toda mulher é uma vítima em potencial. Não sou. Não somos. Nosso protagonismo vai muito além desse papel degradante.

Quando os deuses da Grécia Antiga vislumbraram a possibilidade do homem descobrir o grande potencial que existia em si, pensaram em variados locais para esconderem esse poder. As montanhas, lagos, mares, o cume mais alto da terra e até a Lua foram sugeridos. Mas eles sabiam que de alguma forma, o homem conseguiria encontrar essa grande e poderosa dádiva, onde quer que fosse. Então, eles a esconderam no local mais improvável: dentro do próprio homem, para que somente os que tivessem a humildade e sabedoria de olhar para si pudessem desfrutar. Esse é o tipo de tesouro que guardamos dentro de nós, e, porque não explorá-lo?

Para se envolver com alguém, você precisa estar pronto. Não estou falando de uma aparência estética mais atraente, de um carro do ano, ou de algumas viagens e programas culturais para exibir. É estar pronto por dentro, ter saúde mental. E jamais sentir que precisa de completude, pois esse é um espaço que somente você poderá preencher. Não espere que alguém faça isso por você. A maior e melhor queda que existe é cair em si, e é esta que nos traz mais medo também. Mas não há problema. Os donos de si podem tirar a coragem da mochila, sempre é tempo de amar de verdade. E quando você conhecer o amor real, não vai querer olhar para trás.