Turma da Mônica terá revista voltada a combater preconceito contra pessoas idosas

Parceria entre o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania e o Instituto Mauricio de Sousa, firmada no mês de fevereiro, irá estimular respeito a pessoas idosas; temática da intergeracionalidade será tratada de forma inédita pela revista infantil

Foto: Thomas Barwick/Getty Images

A fim de combater o preconceito contra pessoas idosas, o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC) e o Instituto Mauricio de Sousa acabam de firmar uma parceria que irá viabilizar a produção de uma revista com personagens da Turma da Mônica com o intuito de sensibilizar crianças e adolescentes sobre envelhecimento, inclusão e solidariedade.

Foi notícia no Ouvidor

O objetivo da cooperação é aproximar duas diferentes gerações na luta contra o preconceito: os jovens de 6 a 15 anos, que têm o Estatuto da Criança e do Adolescente como norte para a garantia de direitos; e as pessoas com 60 anos ou mais, que contam com o Estatuto da Pessoa Idosa para a preservação de suas dignidades.

Personagens que há mais de 60 anos fazem parte do imaginário brasileiro, a Mônica e sua turma serão o meio para esse diálogo. Depois de abordar outros temas de direitos humanos como o próprio ECA e as questões ligadas à juventude, pela primeira vez a intergeracionalidade será tratada diretamente pelo Instituto.

Voltada ao público do Ensino Fundamental, a publicação, com previsão de lançamento ainda no primeiro semestre deste ano, procurará disseminar conhecimento sobre o processo de envelhecimento e estimular uma cultura de respeito, fortalecimento de vínculos familiares, solidariedade e valorização intergeracional.

 Produção

A criação da revista será feita a partir de trocas de informações entre o criador e desenhista Mauricio de Sousa e a Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (SNDPI), do MDHC. O Estatuto da Pessoa Idosa estabelece a inserção de conteúdos voltados ao processo do envelhecimento, ao respeito e à valorização do idoso nos currículos dos diversos níveis de ensino formal, a fim de eliminar o preconceito e produzir conteúdo sobre a matéria.

Para o secretário nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, Alexandre da Silva, a iniciativa vai ampliar as ações do MDHC para o público formado por crianças, professores, pais e responsáveis, a partir de um material lúdico. “É importante destacar que no momento desse acordo a gente tem uma personagem que é retratada como criança na maior parte das edições, mas que já é uma pessoa idosa, que já foi retratada como adolescente e que, possivelmente, será retratada na perspectiva da pessoa mais velha ou trazendo reflexões da velhice”, enfatizou o gestor.

 Encontro de gerações

Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica e presidente do Instituto que leva seu nome, comenta sobre a importância de promover o respeito às pessoas de todas as idades. Ele ressalta a importância da parceria para tratar o tema da intergeracionalidade. “Por meio das histórias em quadrinhos, com uma linguagem de fácil compreensão, é possível disseminar mensagens positivas sobre a convivência entre as gerações”.

Além disso, Mauricio, que já vem manifestando a vontade de abordar com mais ênfase o tema da pessoa idosa, destacou o fato de que os personagens da Turma da Mônica, que foram criados a partir de 1959, atualmente conversam com cinco gerações. De acordo com estudos, a atual geração será a que mais irá conviver com gerações diferentes e passar mais tempo com os avós.

“Os pais, mães, tios e tias, avôs e avós têm feito cada vez mais parte das histórias da Turma da Mônica. É importante mostrar às crianças e aos jovens que as pessoas idosas precisam ter seus direitos respeitados e que todos ganham com essa convivência mais próxima”, afirmou o criador.

Sobre o Instituto Mauricio de Sousa

Fundado em 1997, o Instituto Mauricio de Sousa tem em seu DNA os valores éticos que permeiam a vida e a obra de Mauricio de Sousa, o respeito à infância e o compromisso de incentivar a leitura, ultrapassando gerações.

Além disso, para o instituto, investir na criança é semear um futuro promissor, por isso desenvolveu, por meio de uma linguagem lúdica, projetos, campanhas e ações sociais nas áreas de educação, cultura, cidadania, inclusão social e diversidade.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments