segunda-feira, junho 27, 2022
spot_img
InícioCidadesO retorno das tradições

O retorno das tradições

Cidades comemoram Corpus Christi com tapetes e celebrações de missas

Nem o frio denso, em que a neblina baixa mais parecia nuvem deitada sobre o chão, nem mesmo as adversidades provocadas pelo isolamento dessa nova onda de casos positivos para Covid-19, nada foi mais forte que a fé. A retomada da tradição dos tapetes de Corpus Christi teve gosto de renovação da vida.

Em Santa Isabel moradores acordaram cedo para confecção dos tapetes. Foto: Yara Arantes

Em Santa Isabel foram produzidos um total de 118 tapetes. E os trabalhos começaram por volta das 4h da manhã, quando os trabalhadores da secretaria de Serviços deram início a movimentação dos sacos de serragem. E na secretaria de Trânsito, uma equipe se preparava para fechar o trânsito na principal avenida da cidade.

É um trabalho de muitas mãos, cada qual traz sua força e uma porção de história e lembranças. Na Cultura, o secretário Roberto Bastos conta que a marcação dos tapetes foi toda feita pela equipe de serviços, que a serragem foi doada e as paróquias ajudaram com material e a coordenação de equipes diferentes de produção.

“Foram tapetes produzidos por famílias, empresários, escolas, equipes de saúde e do Centro de Memória, foi uma manhã para todas as idades e muitos artistas. Após anos de pandemia, celebramos a vida”, disse Bastos.

A magia dos tapetes em Arujá

Comunidade de Arujá na confecção dos tapetes de Corpus Christi. Foto: Bruno Martins

Em Arujá, o retorno da tradição promoveu um reencontro entre as paróquias. Dos pés da Igreja Matriz no centro da cidade, os fiéis desceram a ladeira da Rua Major Benjamim Franco dando continuidade a exposição de artes produzidas por restos de materiais como borras de café, pó de cal, areia e pó de serra, arrecadados entre as comunidades.

José Marcos da Silva é membro da comunidade Nosso Senhor Bom Jesus, para ele, é muito bom poder retomar a tradição após dois longos anos de paralisações em decorrência da pandemia da Covid-19: “Essa magia é fantástica e nos contagia espiritualmente”, disse.

A exposição dos tapetes terminou após as 14h, quando os fiéis da Paróquia Nossa Senhora Aparecida realizaram a cerimônia de procissão pelos tapetes até a Igreja Matriz.

Igaratá confraterniza com os tapetes

Comunidade de Igaratá em procissão pelas ruas enfeitadas com os tapetes de Corpus Christi. Foto: Beto Melo

A principal característica dos tapetes de Corpus Christi em Igaratá sempre foi a simplicidade. Mas antes de começarem os trabalhos a comunidade se reúne defronte à Igreja matriz para um café comunitário.

– Cada um leva um pão, um biscoito, um suco, chá, café, leite e todos compartilham desse momento, sempre muito emocionante. Principalmente depois de uma distância de dois anos por causa da pandemia, conta Gabriel Prianti, um dos mais entusiastas das iniciativas da paróquia.

A procissão reuniu toda a comunidade religiosa que percorreu os quase 500 metros das ruas que circundam a Igreja localizada no ponto mais alto da cidade.

Por Érica Alcântara e Bruno Martins

RELATED ARTICLES
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Most Popular

Recent Comments

Érica Alcântara on Homero vira lenda
Érica Alcântara on Homero vira lenda
Érica Alcântara on Homero vira lenda
Ana Maria Monteiro da Silva on Homero vira lenda
Agenor Vallone on Homero vira lenda
Ana Paula Carrara on Homero vira lenda
José Francisco "Chiquinho" on Mais segurança em Arujá