Polícia prende em Santa Isabel advogado de Anderson Gordão

Investigações apontaram que Marco Antônio, advogado de Anderson Lacerda (Gordão), era braço direito do narcotraficante e teria até participado de sequestros a mando de Anderson

Operação Pablo Escobar II ocorreu na manhã desta terça-feira, 09, e cumpriu mandados em Arujá e Santa Isabel. Foto: Jornal Ouvidor

Mesmo após oito meses da prisão do maior narcotraficante da região, Anderson Lacerda, o Anderson Gordão, a Polícia Civil não cessou as investigações. Em mais uma operação que investiga os crimes de Anderson e das pessoas que conviviam com ele, a Polícia Civil de Itaquera cumpriu na manhã desta terça-feira em Arujá e Santa Isabel mandados de busca e apreensão.

Veja Também

Em Santa Isabel o advogado de Anderson Lacerda, Dr. Marco Antônio, conhecido como Paçoca, foi preso em seu escritório situado em prédio comercial na Praça da Bandeira, região central da cidade. A operação denominada Pablo Escobar II, foi coordenada pelo delegado Dr. Luiz Romani da 7ª Seccional de Itaquera.

De acordo com o próprio delegado, em entrevista ao Jornal Ouvidor, o advogado mantinha uma vida de luxo exibida em suas redes sociais. Paçoca era tido como braço direito de Anderson Gordão. Além do escritório, os policiais também estiveram em sua casa em Santa Isabel onde apreenderam diversos objetos, incluindo carros de luxo.

O advogado entrou na mira da equipe de investigação, logo após a prisão de Anderson Gordão, ocorrida em 05 de setembro do ano passado, em um restaurante em Poá. Em poder dos celulares do traficante, os policiais encontraram mensagens do advogado, incluindo mensagens em que ele supostamente, a mando de Anderson, teria participado de um sequestro, em que a vítima foi torturada a fim de confessar um crime. Outros quatro suspeitos de envolvimento, nos sequestros apontados na investigação, também foram alvo de buscas e apreensão.

Relembre o caso

Anderson Lacerda (Gordão) responde pelos crimes de lavagem de dinheiro e tráfico internacional de drogas. Ele ficou conhecido após um escândalo de contratos milionários que ele firmou com a prefeitura de Arujá na gestão do ex-prefeito Dr. José Luiz Monteiro entre 2016 e 2020. A investigação apontou inclusive a ligação do vice-prefeito de Arujá, na época, Márcio Oliveira, com a facção criminosa e a sua participação no esquema criminoso de desvio de dinheiro público.

Em Arujá, Anderson responde pelos crimes de lavagem de dinheiro, associação à organização criminosa e tráfico de drogas. Sua ligação com a Prefeitura da cidade, tornou-se pública em 2020, quando as empresas de Anderson fecharam contratos com a cidade nos serviços de Saúde e Coleta de Lixo.

A operação nomeada na época como Soldi Sporchi (dinheiro sujo), foi liderada pelo 4º DP de Guarulhos concluiu que Anderson recebeu cerca de R$77 milhões em contratos com a prefeitura de Arujá. Ele se infiltrou na prefeitura e fechou contratos, alguns até sem licitação, colocou laranjas em cargos dentro do governo municipal e ainda teria desviado medicamentos comprados pelo município para misturar com a cocaína vendida pelo seu grupo.

Defesa nega prisão de Marco Antônio

A advogada Dra. Rafaela Moura que representa o advogado Dr. Marco Antônio, preso na manhã de hoje (09/05) em Santa Isabel, após operação realizada pela 7º Seccional de Itaquera, informou que seu cliente não está preso e foi apenas levado para interrogatório, atendendo a um protocolo da equipe de investigação. De acordo com ela, Marco Antônio deve ser liberado ainda hoje e permanecerá a disposição da justiça, a fim de esclarecer todas as dúvidas.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments