Ouvidor promove ciclo de entrevistas sobre segurança nas escolas

Especialistas da área da segurança, saúde e do direito da criança e do adolescente falam sobre o período conturbado dos estudantes nas escolas em meio as Fake News

O comando da Polícia Militar de Arujá e Santa Isabel, informa que todas as escolas estão sendo devidamente inspecionada pela ronda escolar da Polícia Militar. Foto: Reprodução Internet

Ainda temerosos com os boatos de ataque as escolas, muitos pais passaram a acionar com maior frequência o Conselho Tutelar e até a própria Polícia Militar, a informação foi confirmada pelos próprios representantes das entidades. No combate as Fake News que incendeiam esse medo, o Ouvidor promoveu nesta semana, por meio do seu programa no Youtube, entrevistas que trouxeram importantes debates sobre segurança nas escolas.

Veja Também

A região não registrou nenhum ataque em suas escolas, e em varias unidades a presença da PM e da Guarda Civil Municipal (GCM) foi intensificada na entrada e na saída das aulas. O medo impulsionado pelas redes sociais é tanto que até a presença da PM em algumas unidades para cumprir um protocolo obrigatório de Ronda Escolar causou pânico em alguns pais e alunos.

“Teve pai que ligou no 190 preocupado, porque simplesmente viu a polícia parada na porta da escola, ou alegando que o filho ligou para ele, de dentro da escola, pois viu um policial no pátio e deduziu que estava em perigo, mas na verdade a ronda escolar é algo rotineiro que ocorre sempre, independentemente do período que estamos vivendo”, explicou o Capitão da Polícia Militar de Santa Isabel e Arujá, Anderson Pelegrine.

Em pronunciamento enviado ao Programa De Frente com o Ouvidor, o Capitão Pelegrine reforçou ainda a importância das pessoas interromperem o ciclo da disseminação de notícias falsas: “Pedimos encarecidamente que não disseminem essas informações falsas e sob quaisquer suspeitas acionem imediatamente a Polícia Militar ou a GCM, que enviaremos à equipe ao local, mesmo que nada esteja acontecendo vamos até o local averiguar”, disse.

Na última terça-feira, o Jornal Ouvidor conversou com o Conselheiro Tutelar de Santa Isabel, Francisco Barbosa, o Chiquinho, que falou sobre o trabalho do Conselho dentro das unidades escolares e o quanto ele se intensificou neste período: “A procura pelo Conselho sempre foi grande, mas nessas situações em que estamos, aumentou obviamente. O Conselho cumpre um agenda de visitas às escolas, não com a periodicidade que se deveria, em decorrência dos casos que temos para atender que chegam até nós de outros órgãos além das escolas, afinal o nosso papel é garantir os direitos da criança e do adolescente, independente da situação em que este está”, explicou Chiquinho.

 

No dia seguinte, o Ouvidor bateu um papo com a psicóloga Camila Britto, a fim de falar sobre como esse período conturbado acaba mexendo com o psicológico dos estudantes e prejudica o seu desempenho tanto em sala de aula quanto na vida pessoal. “Estamos lidando com conteúdos que as crianças não deveriam jamais ter acesso, pois podem causar um trauma. Os pais precisam monitorar o conteúdo que seus filhos recebem. Nas escolas é preciso de um trabalho de acolhimento efetivo na base, que envolva de forma completa e preventiva alunos, mas também professores e demais profissionais dando a eles condições de se proteger caso seja necessário em qualquer situação de risco”, acrescentou Camila.

As entrevistas completas podem ser conferidas no canal oficial do Ouvidor no Youtube.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments