Surto de toxoplasmose

Se em dois anos, Santa Isabel registrou apenas um caso de toxoplasmose, há um mês, a cidade vive um bum da doença e já soma 24 casos positivos

Saúde Em 03/09/2021 20:05:49

Por Bruno Martins

A secretaria de Saúde de Santa Isabel ainda apura as causas de uma contaminação em massa de pacientes que contraíram toxoplasmose. Enquanto nos últimos dois anos a cidade registrou apenas um caso da doença, neste ano, em menos de um mês já são 24 registros positivos. A Saúde não descarta a possibilidade de o surto ser ainda maior, pois muitos pacientes podem estar contaminados e não procuraram atendimento médico.

A explosão de casos em Santa Isabel começou em agosto e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), responde por 62% dos casos confirmados na cidade. Ao todo, 15 funcionários da unidade, contraíram a doença, segundo os dados da secretaria de Saúde. 

A secretária de Saúde explica que outros nove casos estão espalhados por diferentes bairros da cidade, cujos pacientes passaram em sua maioria por atendimento na UPA, enquanto uma pequena parcela buscou atendimento nos postos de saúde. Recentemente a Secretaria recebeu uma notificação da Vigilância Sanitária do Estado, em que dois pacientes residentes em Santa Isabel, foram diagnosticados com toxoplasmose em clínicas particulares de Mogi das Cruzes. 

A administração da UPA ressalta que a unidade foi a primeira a notificar a secretaria quando identificou o primeiro caso da doença em um paciente que procurou atendimento na emergência. Nas primeiras suspeitas de casos confirmados entre os funcionários, a UPA passou então, a testar em massa seus colaboradores.

“Acionamos o nosso infectologista que imediatamente recomendou a testagem de todos os profissionais. Para nossa surpresa tivemos um número consideravelmente alto, mas nem todos com ligação direta na unidade. Alguns colaboradores que estavam de férias foram testados no primeiro dia de volta ao trabalho e também positivaram para a doença”, explica Alexandre Maia Ribeiro, diretor administrativo da Santa Casa que responde pela administração da UPA.

Assim que começou a ser notificada, a secretaria de Saúde mobilizou a sua equipe de Vigilância Epidemiológica para trabalhar na investigação dos casos. Sobre os casos da UPA, a Secretaria disse que realizou uma vistoria pela unidade em parceria com os técnicos da Vigilância Epidemiológica de Mogi das Cruzes. 

“Com a nossa equipe de controle de zoonoses visitamos algumas casas no entorno da UPA que podem estar servindo de abrigo a gatos e outros animais transmissores da toxoplasmose. Nossa equipe também checou os laudos de limpeza da caixa d’água, além da desinfecção e dedetização da unidade”, disse a Saúde e completa: “Um inquérito epidemiológico está sendo aberto, a fim de que consigamos chegar a um fator causal com a maior brevidade possível”. 

O que é a doença e como tratar

Transmitida aos humanos por via oral através do contato com as fezes de diversos animais como gatos, pombos e roedores, a toxoplasmose é uma doença comum, em que a maioria dos pacientes apresentam sintomas leves, mas se não tratada de maneira rápida e preventiva pode apresentar complicações e trazer sérios riscos. 

Das 24 pessoas contaminadas em Santa Isabel, duas são gestantes e a contaminação deste público preocupa, e muito, a medicina devido aos sérios riscos que a toxoplasmose representa à grávidas e bebês durante a gestação, podendo levar, em alguns casos, ao aborto ou má formação do feto. 

“Apesar da maioria dos recém-nascidos infectados serem assintomáticos, sem diagnóstico ou tratamento adequado da gestante, estes bebês podem apresentar graves complicações, com comprometimento cerebral, neurológico, visual, auditivo, renal, hepática, além de atraso do desenvolvimento intelectual”, explica o médico intensivista Dr. Luís Silva. 

Luís enfatiza que os sintomas, nos adultos contaminados, são diversos podendo ir de uma infecção assintomática, a quadro mais graves com cefaleia, convulsões, aumento do fígado e baço, aparição de ínguas ou manchas pelo corpo, dificuldade visual e até febre.

A ingestão de água ou alimentos contaminados, como carnes de suínos e bovinos também podem ser um foco transmissor da doença. Doutor Luís explica por que é necessário higienizar bem estes alimentos e evitar comê-los crus ou malpassados: “Acontece que estes animais podem também contrair a toxoplasmose no momento em que se alimentam de pastagens contaminadas por fezes de animais transmissores da doença. Ai se não higienizarmos e cozinharmos corretamente essas carnes, ficamos propícios a nos contaminar”, diz.

“É extremamente importante lembrarmos que o contato com gatos em geral não causa a doença. Não devemos, de forma alguma perseguir os animais visando controlar a toxoplasmose ou qualquer outra doença”, reforça o médico. 

Desde agosto, a secretaria de Saúde informa que está notificando todos os casos suspeitos da doença registrados na cidade aos órgãos competentes.  

Em nota, a Vigilância Epidemiológica do Estado (GVE) informa que está orientando Santa Isabel quanto aos casos de toxoplasmose reportados com objetivo de reforçar as medidas de prevenção epidemiológica. A GVE não registrou nenhuma notificação de casos da doença nos últimos anos em Santa Isabel e afirma não existir nenhum surto de toxoplasmose em outras cidades da região.