Entre recusas, escolhas e atrasos cidades seguem vacinando

Cidades já vacinaram mais da metade da sua população, mas ainda enfrentam problemas no convencimento de alguns que estão com a segunda dose incompleta ou que se recusam a tomar determinada vacina

Coronavírus Em 01/08/2021 14:29:43

Por Bruno Martins

Seja em Arujá, Igaratá e Santa Isabel mais da metade da população destas cidades, já tomaram ao menos uma dose da vacina contra a Covid-19. O sucesso da imunização estaria ainda mais garantido se houvesse maior colaboração da população. Em Santa Isabel, 400 pessoas ainda não voltaram para tomar a segunda dose e em Arujá, 39 se recusaram a tomar qualquer vacina contra a Covid.

Em reunião do Conselho Municipal de Saúde de Santa Isabel, a secretária de Saúde, Rosa Ravazzi externou a sua preocupação aos conselheiros de idosos entre 60 e 64 anos que tomaram a vacina AstraZeneca e que pelas contas já deveriam, há semanas, voltado para a segunda dose: “Temos cerca de 400 pessoas que estão nesta condição hoje na cidade, que não completaram a imunização. É preciso que estes tenham convicção do risco que eles estão se expondo, pois só com a segunda dose eles estarão protegidos do vírus”, alerta.

Rosa explicou ainda que conforme a faixa etária de vacinação diminuiu a Secretaria de Saúde passou a lidar com um outro problema a escolha por vacina: “Muita gente tem ligado nos postos de saúde e perguntam ‘que vacina você tem aí hoje’ como se estivessem comprando alguma coisa sem importância. Vacina independe da marca, todas sem exceção são seguras. Escolher vacina só atrasa a imunização e mantem a pessoa no risco de se contaminar”, alerta.

Em Arujá, que nesta semana atingiu a marca de mais de 60 mil doses aplicadas da vacina contra a Covid-19, algumas pessoas ainda insistem em recusar a vacinação. Sobre as escolhas por determinadas vacinas, recentemente o vereador Vinícius Pateta (Rede), em ofício aprovado na Câmara de Arujá e encaminhado ao prefeito Dr. Luís Camargo, sugeriu que a secretaria de Saúde arujaense envie para o final da fila o morador que quiser escolher o imunizante que irá tomar.

 “Nossa equipe sempre orienta o usuário sobre a importância da vacina. A pessoa que se recusa fica com esse registro em seu cadastro, perde a vez e só pode fazer um novo cadastro, se ainda houver vagas disponíveis para a sua faixa etária. Até o momento, já registramos 39 recusas”, informou a Diretoria de Vigilância em Saúde de Arujá.

Há meses, Igaratá que já aplicou mais de sete mil doses da vacina contra a Covid-19, já vinha relatando problemas com as poucas doses que recebe do governo do Estado. De acordo com a secretaria de Saúde do município, essa defasagem gera uma diferença grande entre o número de cadastrados e as doses disponíveis que geralmente não chegam nem na metade do que o município precisa. Recentemente o Prefeito Elzo de Souza (PL) enviou uma carta ao governo do Estado para que enviasse ao município as doses remanescentes que faltam para garantir a imunização completa dos grupos que já passaram.

Os três municípios estão com cadastro aberto para vacinar o público de 28 e 29 anos. Santa Isabel já antecipou o início da vacinação para este público ontem, 30/07. Moradores de Arujá e Santa Isabel podem fazer o cadastro direto no site das prefeituras e em Igaratá o pré-cadastro acontece no salão paroquial, ao lado da Igreja Matriz, centro da cidade, das 9h às 15h.