Alto Tietê pede apoio ao Governo do Estado

Preocupação dos prefeitos que integram o CONDEMAT está no significativo aumento de atendimento de síndrome gripal e o abastecimento de medicamentos

Saúde Em 08/01/2022 00:59:19

Por Érica Alcântara

Os atendimentos aos casos de síndrome gripal tiveram um aumento de em média 60% na região nos últimos dias. O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê - CONDEMAT aguarda resposta do ofício que enviou ao Governo do Estado expondo a preocupação com o aumento dos atendimentos. 

“Solicitamos abastecimento do medicamento necessário para o atendimento de síndrome gripal, bem como a realização de campanha de conscientização para que a população mantenha as medidas protetivas”, informa.

 Em nota, o CONDEMAT destaca que atua em diversas frentes, entre elas, “a luta pelo funcionamento do Hospital das Clínicas de Suzano de portas abertas para a população, o que irá desafogar o sistema de saúde regional; na ampliação dos atendimentos e serviços especializados na rede referenciada da região, com ampliação dos leitos de traumato-ortopedia, ampliação nos serviços de hemodiálise, cirurgias eletivas e terapia renal substitutiva”.

RETORNO DAS RESTRIÇÕES

A prefeitura de Amparo, a 140km de Santa Isabel, é a primeira cidade do interior de São Paulo a decretar em 2022 o retorno de parte das restrições de abertura do comércio. Lá, qualquer atividade que possa acarretar aglomeração deverá, obrigatoriamente, encerrar o atendimento ao público até as 23h.

Segundo o CONDEMAT, até o momento não há adoção de restrições. “Os municípios se organizaram rapidamente para atender esta demanda que tem sobrecarregado as unidades de emergência e urgência”. 

Cada município adota uma conduta, alguns reforçaram o quadro pessoal para atendimento, outros ampliaram os horários de atendimento, houve municípios que implantaram centros específicos para paciente com gripe, entre outras medidas para garantir o atendimento. 

“Em todo caso, é preciso que a população também faça a sua parte e continue a seguir os protocolos como uso de máscaras faciais, uso do álcool em gel para higienização frequente das mãos. Alertamos ainda para que as pessoas que estão com sintomas leves permaneçam em casa e só procurem o serviço de saúde em caso de urgência”, finaliza a nota.