No Pé do Ouvido

Pé do Ouvido
Os bastidores da política regional, no Pé do Ouvido.

Confira os destaques do Pé do Ouvido da edição 1.477 do Jornal Ouvidor. Fique por dentro dos bastidores da região.

IGARATÁ

RECOMPENSA – Com a desestatização da Sabesp, os municípios que tem represas que servem para o fornecimento de água para a empresa tiveram uma recompensa financeira bastante significativa. A vizinha Nazaré Paulista, na qual a área alagada da represa é praticamente a metade do tamanho da área alagada pela represa do Jaguari, em Igaratá, receberá, à vista, a quantia vultosa de R$ 18 milhões de reais.

SACANAGEM – Igaratá não receberá nenhum centavo. A justificativa é que a represa do Jaguari é voltada para a produção de energia elétrica, controle de vazão do rio Paraíba e nem pertence à Sabesp, sendo administrada por Furnas Centrais Elétricas.

SACANAGEM 2 – A represa do Jaguari, embora tenha sido planejada inicialmente para uma função, hoje tem outra e é de fundamental importância, alimenta a represa do Atibainha (Nazaré Paulista) assegurando abastecimento de água para toda a Grande São Paulo, através de obra realizada pela própria Sabesp.

SACANAGEM 3 – A represa do Jaguari produz muita água para a Sabesp e quase nada de energia elétrica, mas mesmo assim, mais uma vez, Igaratá levou a pior e ficou de fora da distribuição dos benefícios com a desestatização da Sabesp. A Prefeitura, que cuidou sozinha disto não fez nada neste sentido. Faltou quem lutasse pelos interesses de Igaratá.

SUSPEITA – Nada como as eleições para revigorar as contratações públicas. Aliás, essa proximidade de escalada de contratações com eleições, diga-se de passagem, não é suspeita, é suspeitíssima.

SUSPEITA 2 – Como a contratação de pessoal por concurso ou processo seletivo é vista por lupa pela Justiça Eleitoral, o jeitinho para driblar as vedações vai aparecendo. E nisto as contratações por MEI’s (micro empreendedores individuais) tem sido a fonte inesgotável utilizada pela Prefeitura de Igaratá.

JEITINHO – Somente no último edital para a contratação de MEI’s (micro empreendedores individuais) para prestação de serviços eletricista, ajudante de eletricista, pintor, ajudante de pintor, pedreiro, auxiliar de pedreiro, encanador/bombeiro hidráulico, serviços de auxiliar de serviços gerais (diarista) e serviços de preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo foram disponibilizadas 54 vagas.

JEITINHO 2 – E o pior é que muitos servidores efetivos tem reclamado que os MEI’s (micro empreendedores individuais) estão ganhando muito mais que eles. Disseram até que compensa pedir afastamento do cargo efetivo e tentar uma vaga de MEI. E em alguns casos o valor oferecido para as contratações de MEI chegam a quase o triplo do salário do servidor.

EXEMPLO – Um dos casos é o de pedreiro. O valor do salário do pedreiro efetivo gira em torno de R$ 2.000,00. Para a contratação de MEI as vagas falam em 248 horas por mês, pelo valor de R$ 27,00 a hora. A soma final dá quase R$ 6.700,00/mês. Sinal que alguma coisa está errada, ou o servidor efetivo está ganhando pouco ou o MEI está ganhando muito.

DINHEIRO NO MATO – Outro bom negócio também, pelo menos para o contratado é o de prestação de serviços para roço, poda e capinagem das margens das estradas vicinais, prédios públicos, ruas e calçadas compreendendo a poda de plantas e gramados, capina manual, roçagem, limpeza da área e remoção de material das vias públicas.

DINHEIRO NO MATO 2 – O valor anual do contrato celebrado pela Prefeitura de Igaratá com uma empresa é de R$ 340.000,00. Uma bela quantia. O que está um pouco difícil de entender é o tamanho da área que tem que ser roçada, um total de 1.000.000 m² (um milhão de metros quadrados).

NO MATO – Para se ter uma noção do que essa medida representa, um campo de futebol oficial mede 10 mil m2, ou seja: um milhão de metros quadrados equivale a aproximadamente 100 (cem) campos de futebol. Fica difícil é demonstrar de onde se tem esse número de mato para ser roçado.

SANTA ISABEL

ADESÃO – Embora muito bem aproveitada pela comunidade a audiência pública promovida pela Alesp em Santa Isabel nesta semana parece não ter entrado na lista de prioridades de alguns vereadores. A ausência de alguns e o pouco caso dos presentes não passaram despercebidos.

FOI MAL – Durante a audiência pública os deputados fizeram questão de chamar os vereadores para comporem a bancada de autoridades. Alguns deles não estavam por compromissos particulares como o presidente Neurisvan. Só esqueceram de avisar os deputados que uma das ausências tinha um motivo e tanto, a do vereador Luizão Arquiteto, que foi chamado três vezes para compor a mesa. Diante da falta de respostas a audiência prosseguiu.

E O CASO – E por falar nisso, a Operação Munditia completou um mês nada mudou de lá para cá. Até o principal alvo das operações o pagodeiro Vagner Borges segue foragido enquanto seus laranjas e os três vereadores, dentre eles Luizão, seguem presos. Nesta semana, um levantamento do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo apontou que de 2016 a 2023, mais de R$251 milhões em dinheiro público foram direcionados a CNPJs ligados ao PCC.

PEDIDOS – A oportunidade de passar o chapéu e pedir recursos para a cidade foi aproveitada apenas pelos vereadores Marquinhos Pelican, Regiane Protetora, Osvaldinho e Edson Oh Glória. Os demais não quiseram utilizar a tribuna, até aí tudo bem. Os secretários municipais que puderam utilizaram do momento de fala para pedir investimento para suas Pastas.

EDUCAÇÃO – A Secretária Maria Donizete fez questão de ressaltar os investimentos do município na rede municipal de educação, mas pediu ao Estado mais recursos para a aquisição de carros adaptados para o transporte de alunos com deficiência, além de infraestrutura das escolas e ampliação de creches na cidade.

TURISMO – Falando pelo setor que mais cresce na cidade, o diretor Municipal de Turismo, Alexsandro Machado pediu que o estado pudesse contribuir com o município para um ônibus para o transporte de turistas do centro da cidade até a serra do Itaberaba. O Diretor também solicitou recursos para a reforma e ampliação da sede da secretaria de Turismo para a construção de novas salas de formação profissional para assim qualificar a mão de obra da cidade.

ESPORTE – Edson Rodrigues pontuou a necessidade de um maior convênio da secretaria Estadual de Esportes com o município, para que a cidade consiga ampliar as areninhas e áreas de lazer e assim descentralizar às práticas esportivas para outros bairros da cidade. “Nos últimos anos as portas da secretaria Estadual de Esportes se fecharam para os municípios pequenos como Santa Isabel e precisamos voltar com os convênios que auxiliam as cidades na promoção do esporte e lazer”, disse.

MEIO AMBIENTE – O Secretário João Buosi destacou os investimentos de quase R$ 4 milhões realizado pela gestão municipal nas obras de prevenção e combate a enchente nos últimos quatro anos. Buosi solicitou celeridade do estado na canalização do completa do Ribeirão Araraquara: “Temos 3 km de ribeirão no centro da cidade, onde cerca de 250 imóveis que estão afetados com o risco de serem prejudicadas por uma chuva mais forte. Precisamos da liberação de R$ 18 milhões para darmos uma solução completa e definitiva a esse eventual risco. Não podemos mais ficar resolvendo a dor de cabeça momentânea é preciso curar essa infecção”, pontuou.

SEGURANÇA – Martins pediu aos deputados que junto ao governo do estado busquem dar mais investimento na segurança pública: “Percebemos que na distribuição de receitas do estado, a segurança pública é a que menos recebe e os municípios menores nunca são contemplados. A prefeitura tem feito a sua parte investindo na Central de Monitoramento e abertura de concurso para implantação da Guarda Civil Municipal, mas pedimos ao Estado que olhem com carinho para a necessidade do nosso setor”, disse.

SAÚDE – Na saúde, a Secretária Helena Inácio apontou as dificuldades não só enfrentadas por Santa Isabel, mas todas as cidades da região sobretudo na falta de especialidades de média e alta complexidade, em que o estado não está cumprindo com a sua parte: “Recebemos por mês uma ou duas vagas para atender aos nossos munícipes e isso é muito pouco. O município tem feito a sua parte e investindo na contratação de especialidades. Atualmente nossa região, dispõe apenas uma farmácia de alto custo na cidade de Mogi das Cruzes, o que é pouco para uma região do tamanho da nossa com 12 cidades”, disse.

CONSEG – Na segunda-feira, 27, o Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Santa Isabel promoverá reunião com a comunidade do Bairro Vila Nova. A reunião ocorrerá na Igreja da Assembleia de Deus, na Rua Mar Mediterrâneo, Nº104, a partir das 19h. Participe!

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments