MP-SP cumpre mandados em câmaras da região

Foram cumpridos 42 mandados de busca e apreensão e 15 de prisão; Políticos da região estão presos, dentre eles, o vereador e ex-presidente da Câmara isabelense, Luizão Arquiteto (MDB).

Agentes do Ministério Público e GAECO em mandados de busca e apreensão na Câmara Municipal de Santa Isabel. Foto: Divulgação MP-SP

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) deflagrou, na manhã desta terça-feira (16), a Operação Munditia, para desarticular um grupo criminoso associado à facção Primeiro Comando da Capital (PCC), suspeito de fraudar licitações em todo o Estado.

A ação, realizada com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e Polícia Militar, cumpriu 42 mandados de busca e apreensão, e outros 15 de prisão temporária nas cidades de Arujá, Santa Isabel, Guarulhos, São Paulo, Ferraz de Vasconcelos, Cubatão, Poá, Jaguariúna, Guarujá, Sorocaba, Buri e Itatiba. Veja abaixo a nota oficial da Câmara Municipal de Arujá.

Foi notícia no Ouvidor

Dentre os alvos presos na operação, está o vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Santa Isabel, Luiz Carlos Alves Dias – “Luizão Arquiteto” (MDB). Os agentes estiveram na casa do político e, na busca por provas ligadas à investigação, encontraram uma arma de fogo sem registro. O mesmo também foi detido pelo porte ilegal da arma.

Luizão foi encaminhado a Delegacia de Polícia de Santa Isabel, onde a ocorrência foi apresentada. Além dele, também foram presos os vereadores Ricardo Queixão (PSD), de Cubatão e Flávio Batista de Souza (Podemos), de Ferraz de Vasconcelos. Outras dez pessoas também foram presas e duas estão foragidas.

Operação Munditia

Com o significado de “limpeza”, a operação investiga contratos que resultam sobre supostas licitações fraudadas por quadrilhas ligadas ao PCC. Os contratos somam mais de R$200 milhões. Segundo o MP-SP essas empresas forjavam competições em licitação com intuito de contratar mão de obra terceirizada em diversos serviços prestados a prefeituras e câmaras municipais.

Nota da Câmara Municipal – Arujá

Em relação à operação policial feita na cidade de Arujá nesta terça-feira (16/4) informamos que: A Câmara de Arujá, por meio da Presidência da Casa, está à disposição da Justiça para prestar quaisquer esclarecimentos em relação às denúncias apuradas pelo Ministério Público do Estado de São Paulo.

Importante esclarecer que, diferente do noticiado por alguns veículos de imprensa, o vereador Gabriel dos Santos, atual Presidente da Câmara, não foi detido. Conforme apurado pela Assessoria de Comunicação da instituição, não há sequer pedido de prisão expedido em nome do parlamentar. Portanto, são inverídicas as afirmações sobre essa detenção.

O que ocorreu, como consta dos autos, foi o cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência de Gabriel e na Câmara de Arujá.

Continuamos acompanhando os desdobramentos desses fatos e, sendo necessário, voltaremos a nos pronunciar.

Se inscrever
Notificar de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments