Governo relança programa Mais Médicos

O ministério da Saúde relançou nesta semana o Programa Mais Médicos, iniciativa visa ampliar atendimento, principalmente em áreas carentes

Governo Federal relançou nesta semana, o Programa Mais Médicos. Foto: Divulgação Internet

O Ministério da Saúde relançou nesta segunda-feira, 20/03, o Programa Mais Médicos. Criado em 2013, na gestão da então presidente Dilma Rousseff, o programa sofreu alterações nos últimos anos e passa a ser retomado agora na gestão do presidente Luís Inácio Lula da Silva, com o mesmo objetivo do passado, ampliar o número de profissionais da saúde em áreas distantes do perímetro urbano e com foco principalmente no interior do Brasil.

O programa foi rebatizado com o nome Mais Médico para o Brasil, e de acordo com o governo federal, deve priorizar não só a contratação de médicos brasileiros, mas também de outros profissionais da saúde como dentistas, enfermeiros e até assistentes sociais.

Veja Também

Além do presidente Lula, a ministra da Saúde, Nísia Trindade esteve na cerimônia ocorrida no Palácio do Planalto. Ambos ressaltaram que o objetivo principal do programa, será ampliar o número de profissionais de saúde em áreas de baixo desenvolvimento econômico e no interior do país.

De acordo com o governo, a iniciativa vai ampliar o acesso ao atendimento médico no país, principalmente nas regiões de extrema pobreza e vazios assistenciais.

No último sábado (18), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Paulo Pimenta, escreveu no Twitter que além de ampliar o número de profissionais da saúde, o programa vai melhorar o Sistema Único de Saúde (SUS), com  investimentos em construção e reforma de unidades básicas.

Na mesma publicação, Pimenta lembrou que o programa, criado pela então presidente Dilma Rousseff, “chegou a ser responsável por 100% da atenção primária em 1.039 municípios, contratou mais de 18 mil profissionais e beneficiou 63 milhões de brasileiros. “O desmonte do programa, nos últimos anos, mostra o descaso que sofreu o SUS”, acrescentou. No novo formato, a expectativa é que sejam anunciados incentivos de permanência dos profissionais nos municípios.

Prioridade serão médicos brasileiros 

Em seu discurso, o presidente Lula ressaltou que os editais para convocação dos programas mais médicos darão prioridade aos médicos brasileiros, formados ou não no Brasil, mas o mesmo afirmou que o programa poderá sim contratar médicos estrangeiros.

A ministra Nísia explicou que o programa visa contratar no momento inicial 15 mil médicos, sendo que 10 mil será por meio de contrapartida de financiamento dos municípios que aderirem ao Mais Médicos.

O governo informou ainda que o edital de convocação para os 5 mil postos já abertos, deverá ser publicado ainda nesta semana.

*Com informações da Agência Brasil e Portal de Notícia G1.  

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments