Especialista alerta sobre como cuidar do Pé diabético

Idosos e pessoas obesas têm mais dificuldade para se movimentar. Por isso, muitos não conseguem cuidar sozinhos dos próprios pés

Pés diabético
O melhor cuidado é a prevenção. Com o controle disciplinado do açúcar no sangue o diabético não terá, necessariamente, pés diabéticos. Foto: Divulgação Internet

Entre janeiro e agosto de 2023, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 6.982 amputações de membros inferiores (pernas e pés) causadas por diabetes. Isso dá, uma média de 28 ocorrências por dia e vem crescendo. Assim, se você tem diabetes e não sabe muito bem o que é o ‘Pé Diabético’ é muito importante ler até o final.

Foi notícia no Ouvidor

O que é esse tal de Pé Diabético?

O pé diabético é uma condição que costuma acometer diabéticos que não controlam a doença. O excesso de açúcar no sangue, quando não controlado leva a um processo chamado “neuropatia”, que acomete os nervos, causando perda de sensibilidade e até algumas deformações nos ossos dos pés, conforme explica Mateus Martinez, fisioterapeuta chefe da Pés Sem Dor. Essas deformações costumam atritar nos calçados fazendo bolhas e calos. Com a perda da sensibilidade, a pessoa não sente a dor dos ferimentos e, com isso, eles tendem a ficar sem tratamento. É comum pessoas com Pés Diabéticos permanecerem por meses com feridas abertas, expostas aos microrganismos que causam as infecções e podem levar à amputações.

Para piorar ainda mais a situação, o diabético também costuma ter problemas de circulação, o que dificulta a chegada do sangue aos membros inferiores. Como consequência, os ferimentos nos pés demoram mais para cicatrizar, tornando ainda mais difícil a cura das lesões em pés diabéticos.

Problema pode ser comum e mais perigoso entre os idosos e obesos

Comum no adulto e idoso, o diabetes tipo 2 atinge especialmente aquela pessoa que tem histórico na família e apresenta obesidade abdominal. É uma doença muito associada ao sobrepeso, porque o tecido adiposo (gordura) dificulta a absorção da insulina: hormônio produzido pelo pâncreas, que tem como função metabolizar a glicose (açúcar no sangue), segundo informação da Federação Internacional de Diabetes.

Tendo em vista os hábitos e o estilo de vida, existe uma forte tendência ao desenvolvimento de diabetes com o avançar da idade. Quase 25% dos homens e 10% das mulheres vão desenvolver diabetes entre 70 e 79 anos, revela a pesquisa “Saúde e Qualidade de Vida: a relação com os pés, tornozelos e joelhos”.

Idosos e pessoas obesas têm mais dificuldade para se movimentar. Por isso, muitos não conseguem cuidar sozinhos dos próprios pés. Se perdem a sensibilidade, essas pessoas vão correr muito mais riscos, caso não possam contar com um familiar ou cuidador para ajudá-las a manter os pés livres de ferimentos.

Como evitar os Perigos do Pé Diabético

O melhor cuidado é a prevenção.  Com o controle disciplinado do açúcar no sangue o diabético não terá, necessariamente, pés diabéticos. Infelizmente, nem todos conseguem manter esse controle. Nesses casos, existe uma série de cuidados importantes para evitar as decorrências dos Pés Diabéticos, comenta Mateus Martinez:

  • Não ande descalço para evitar se ferir.
  • Pés diabéticos tendem a ser mais secos que o normal e a desenvolver rachaduras que podem ser uma porta de entrada para infecções. Por isso, mantenha os pés sempre limpos e hidratados.
  • Seque muito bem os pés, especialmente entre os dedos para evitar micoses e frieiras.
  • Troque sempre as meias por causa da umidade e opte por modelos sem costura, para não atritar com os pés.
  • Mantenha as unhas curtas. Se puder, conte com a ajuda de um podologista para cortar corretamente e evitar que encravem.
  • Não tire as cutículas! Novamente, um podologista especializado em pés diabéticos vai saber como deixar seus pés bonitos e saudáveis, sem riscos.
  • Observe bem os pés todos os dias para ver se não tem bolhas, calos ou outros ferimentos. Conte com a ajuda de um espelho para olhar embaixo dos pés.
  • Cuide dos calos para evitar que outras lesões se desenvolvam.
  • Fique atento a mudanças de coloração e temperatura. Podem ser indício de alguma lesão oculta.
  • Trate qualquer ferimento tão logo ele apareça para evitar complicações.
  • Use calçados confortáveis. Dê preferência para modelos fechados, mas arejados, com bom espaço para os pés, amortecimento no solado e sem costura interna.
  • Avalie seus pés com um especialista para verificar se há perda de sensibilidade e se a anatomia dos seus pés tende a gerar atrito com os calçados.

Use Palmilhas e Calçados sob medida

A palmilha sob medida da Pés Sem Dor é feita a partir de uma avaliação gratuita dos pés. Conduzida por um especialista, essa avaliação identifica se você tem perda de sensibilidade e pontos de hiperpressão, que podem causar ulcerações nos pés. A palmilha sob medida para diabetes redistribui os pontos de pressão evitando lesões e impacto que possam produzir algum trauma durante a sua rotina diária ou nas atividades físicas.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments