Início Cidades Santa Isabel

Críticas com o APP de Zona Azul

Primeira semana do estacionamento rotativo, motoristas reclamam do sistema de cobrança: insegurança e taxas acima do valor mínimo da hora/vaga

A Zona Azul em Santa Isabel mal começou e já coleciona uma série de críticas e reclamações em relação ao seu APP de venda

Por Érica Alcântara
Na primeira semana de real funcionamento do estacionamento rotativo de Santa Isabel a maior reclamação dos usuários é o sistema de cobrança. A taxa mínima proposta pelo aplicativo é 233% maior que o valor real, o motorista é obrigado a contratar R$5,00, para pagar R$1,50 por hora.

Apesar das transações bancárias terem mudado nos últimos dois anos, desde que o sistema PIX (sem adição de taxas bancárias) começou a funcionar no país, o aplicativo da Zona Azul de Santa Isabel só aceita cartão de crédito.

E, porque os valores do aplicativo são de múltiplos de cinco, sempre haverá uma sobra de recursos para a empresa. Que, sem nenhum selo de garantia de segurança visível no aplicativo, garante que as informações do cartão de crédito inseridas no APP não ficam armazenadas e a transação é segura. O usuário termina por pagar mais caro quando usa o aplicativo sem mesmo ter a certeza de que os seus dados estão protegidos pela LGPD (Lei geral de proteção de dados).

Analisando o contrato, disponível no site da Prefeitura de Santa Isabel, não há condicionantes que especificam como a empresa deve proceder com relação à cobrança feita pelo APP. Portanto, ainda que os motoristas reivindiquem um APP com opção de pagamento em PIX e taxas correspondentes ao real uso das vagas, não há obrigatoriedade contratual para esta mudança.

Há também 15 pontos fixos de vendas distribuídos ao longo das 503 vagas de estacionamento, mas nenhum deles está devidamente identificado. Além disso, ao pagar em um ponto fixo, o motorista não tem comprovante físico de ter feito o pagamento. – Isso pode gerar problema para todos: o motorista alega que pagou e que o comerciante não registrou, diz um motorista que estacionou o carro e buscava comprovante.

O contrato especifica o número mínimo de pontos fixos de venda: 01 local para cada 80 vagas. Mas não há o mesmo condicionante sobre o número mínimo de funcionários de atendimento aos motoristas. O mais seguro é mesmo adquirir com os monitores, mas não se sabe o número de funcionários da empresa circulando pelas ruas.

Veja Também 

Lei manda reduzir salários de servidores

E como não há tempo de tolerância, uma vez estacionado, o veículo que não comprovar o pagamento da taxa da Zona Azul poderá ser multado. A aplicação de Auto de Infração de Trânsito é considerada grave, 5 pontos na CNH e, além da multa, e o infrator ainda estará sujeito à remoção do veículo.

Quem aplica a multa é o Agente de Trânsito da Prefeitura, acionado pela concessionária, sempre que houver irregularidade. Ainda de acordo com o contrato, os agentes deverão atingir um índice de no mínimo 75% de lavratura de autuações, em relação ao número total de avisos emitidos pelos monitores da empresa contratada.

VANTAGENS

Uma vez iniciada a cobrança da Zona Azul, o Centro da cidade agora dispõe de vagas de estacionamento livres. O rodízio de carros é constante e a circulação de clientes no comércio é aos poucos sentida pelos empresários, antes afetados por veículos que atravancavam o dia inteiro a porta das lojas.

Um comerciante, que prefere não se identificar, disse que ainda sente que os consumidores estão bastante receosos, não sabem onde adquirir os tíquetes de estacionamento, entram nos estabelecimentos e compram rapidamente para sair.

Edinavaldo dos Reis, gerente da Loja ED+, mais conhecido como Vavá, já sentiu que melhorou bastante a rotina do comércio. “Hoje os clientes acham vagas para estacionar, antes não conseguiam”, conta.

Até o fechamento desta edição a Prefeitura de Santa Isabel não retornou os questionamentos da reportagem.

Se inscrever
Notificar de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
wpDiscuz
Sair da versão mobile