CONDEMAT+ discute programas do Estado de atendimento aos dependentes químicos

Cidades irão firmar convênio com o Governo do Estado para acessar as vagas em serviços destinados a esse público

O encontro contou com a participação do diretor da Diretoria Regional de Assistência e Desenvolvimento Social (DRADS) Mogi das Cruzes, José Resende Filho. Foto: Assessoria Condemat+

O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (CONDEMAT+) reuniu nesta quinta-feira (21) técnicos das áreas de Assistência Social e Saúde para discutir as políticas públicas voltadas para dependentes químicos, com a participação da coordenadora estadual da Coordenadoria de Políticas sobre Drogas (COED), Eliana Borges.

Foi notícia no Ouvidor

No encontro foram apresentados os programas e as ações do Estado para o atendimento aos dependentes e os protocolos a serem seguidos. Além dos convênios entre Estado e municípios para acesso aos serviços, a região deverá integrar um projeto de pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) voltado para a prevenção das drogas com crianças e adolescentes.

Atualmente, o governo estadual conta com três serviços para atendimento a dependentes químicos: Acolhimento Terapêutico; Acolhimento Institucional; e Acolhimento em Repúblicas. São 300 vagas para a Região Metropolitana, que abrange a maioria dos municípios do CONDEMAT+. Existe ainda o Espaço Prevenir, voltado para o atendimento das famílias dos dependentes químicos e aqueles que estão em fase final de tratamento.

O presidente do consórcio, Vanderlon Gomes, prefeito de Salesópolis, reforçou a importância do apoio do Estado para o atendimento desta população. “Notamos que depois da pandemia houve o aumento de dependentes químicos. Na nossa região, alguns municípios, principalmente os que são cortados pela linha férrea, convivem mais fortemente com essa realidade, pois o fluxo de pessoas é muito intenso. Esse é um assunto que envolve diversas áreas como Assistência Social e Saúde, por isso a integração entres os setores, como ocorre por meio das nossas Câmaras Técnicas, é essencial para equacionarmos o problema e encontrarmos soluções”, analisou.

O acesso aos serviços estaduais para dependentes químicos requer um convênio firmado entre os municípios e o Governo do Estado, tratativa que deve ser formalizada pelas cidades do CONDEMAT+. A partir disso, as administrações terão acesso às vagas disponibilizadas pelas unidades de referência, como Guarulhos e São José dos Campos. A coordenadora estadual esclareceu que novas estruturas podem ser abertas de acordo com a demanda gerada pelos municípios.

“Hoje, tivemos a oportunidade de mostrar aos municípios o que temos de ações no que tange às políticas sobre drogas, em especial os serviços de qualidade para fazer o tratamento de pessoas com dependência química, mas também com um cuidado destinado às famílias”, ressaltou a coordenadora estadual.

Durante a reunião, as professoras Sheila Cavalcante Caetano e Zila Sanchez apresentaram o trabalho científico conduzido pela Unifesp de intervenção comunitária para a prevenção das drogas com crianças e adolescentes. A iniciativa é a primeira do tipo a ser implantada no Brasil e a proposta é que o CONDEMAT+ possa aderir ao projeto de forma regionalizada.

O encontro contou com a participação do diretor da Diretoria Regional de Assistência e Desenvolvimento Social (DRADS) Mogi das Cruzes, José Resende Filho, além de secretários municipais e técnicos dos municípios consorciados.

Se inscrever
Notificar de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments