Início Cidades Igaratá

Cidade debate o abuso e a exploração infantil

Dra. Cláudia
A Juíza de Santa Isabel, Dra. Claudia Vilibor Breda palestrou sobre o tema em Igaratá. Foto: Assessoria Prefeitura.

O dia 18 de Maio foi instituído como “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Infantil”, em homenagem a Araceli, uma menina de oito anos que em 1973, em Vitória (ES), teve todos os seus direitos humanos violados.

Araceli foi sequestrada, estuprada e morta por jovens da classe média alta da cidade, em um crime que até hoje está impune.

O movimento que propaga a prevenção à exploração e abuso de crianças e adolescentes já atingiu quase todos os municípios do país onde governos, sociedade civil e organizações sociais como a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), se reúnem e desenvolvem ações visando combater crimes como o que tirou a vida de Araceli.

Em Igaratá a Dra. Cláudia Vilibor Breda, juíza da Vara da Infância da Comarca, reafirmou que é preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual. Sua palestra, na Câmara Municipal, reuniu o prefeito Elzo de Souza, o secretário Ary Prianti, da Ação Social, além de funcionários e populares.

Mais sobre Igaratá 

IBGE busca recenseadores em Igaratá

Além da Dr. Cláudia, a assistente social, Prof. Wilma Regina proferiu palestra alertando para o tema “Vamos falar de cuidados” abordando os sinais que crianças e adolescentes manifestam ao serem confrontados com a realidade do assédio.

Dra. Wilma é mestre em Ciências Sociais, especialista em Gestão de Pessoas e Psicanalista além de professora universitária e perita judicial. Em sua palestra Prof. Wilma ofereceu instrumentais para os profissionais presentes começarem a consolidar suas ações no combate à violência e exploração sexual infantil.

Santa Isabel e Arujá também promoveram ação sobre o tema 

Cidades no combate ao abuso e a exploração infantil

A ação em Igaratá foi promovida pela Secretaria da Saúde, em parceria com o Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE-Unidade Regional da Secretaria de Estado da Saúde), e a Rede Protetiva à Criança e ao Adolescente.

Se inscrever
Notificar de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
wpDiscuz
Sair da versão mobile