Coronavac para crianças
Anvisa aprovou na noite desta quarta-feira, 13/07, a aplicação da Coronavac em crianças de 3 a 5 anos. Divulgação Internet

Nesta quarta-feira (13), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, em reunião colegiada, a extensão de uso emergencial pediátrico da vacina CoronaVac para crianças da faixa etária de 3 a 5 anos.

O esquema vacinal aprovado segue o mesmo protocolo que é aplicado em crianças maiores de 6 anos e adultos, com mesma dosagem e intervalo de 28 dias entre aplicações.

Após aprovação pela Anvisa, o Butantan espera agora que o imunizante seja incorporado ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, de acordo com a demanda necessária e mediante contratação.

Veja Também 

Santa Isabel promove mutirão de vacinação

Para o Instituto Butantan, que produz a vacina da CoronaVac em parceria com a farmacêutica Sinovac, é importante ver que novamente o imunizante será também utilizado para a proteção dos mais expostos ao Sars-Cov-2, no caso das crianças. Estudos recentes tem comprovado que a circulação de novas variantes mais transmissíveis da ômicron, que têm causado aumento de casos no Brasil, especialmente no público infantil.

“A CoronaVac atendeu às necessidades do povo brasileiro nos momentos mais críticos da pandemia de Covid-19, sendo o primeiro imunizante a ser aplicado no país e nas populações mais vulneráveis naquele contexto, os idosos e profissionais da saúde”, lembrou o Instituto.

No país, 15% das internações ocasionadas por Covid-19 são de crianças menores de 5 anos. Além disso, a média de óbitos nesta população é de duas mortes por dia, o que as classifica como o grupo mais vulnerável à doença neste momento.

A eficácia da CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos foi comprovada não só por estudos clínicos controlados, como também por dados epidemiológicos do mundo real, que demonstram a sua efetividade. No Chile, uma pesquisa revisada por pares e publicada na Nature, feita com 500 mil crianças, mostrou que o imunizante forneceu proteção de 69% contra internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 64,6% contra hospitalização por Covid-19.

O Chile aplica a CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos desde dezembro de 2021 e os dados de farmacovigilância mostram que a vacina foi a mais segura para essa população, apresentando a menor taxa de eventos adversos registrada em relação à outra vacina administrada em crianças no país, de RNA mensageiro. A taxa é maior do que entre os que tomaram a CoronaVac, mesmo com um número menor de doses aplicadas (2 milhões contra 4,9 milhões).

Além do Chile, outros países como China, Colômbia, Tailândia, Camboja, Equador e o território autônomo de Hong Kong já administram a CoronaVac em crianças de três anos ou mais. O Dossiê CoronaVac: Crianças e Adolescentes, lançado pelo Instituto Butantan em janeiro deste ano, reúne outros estudos científicos que dão suporte à aplicação da vacina na faixa de 3 a 5 anos.

O Instituto Butantan informou ainda que: “Segue trabalhando a serviço da vida e ressalta seu compromisso com a ciência e com a saúde pública de todos os brasileiros”, finaliza.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments