quarta-feira, junho 29, 2022
spot_img
InícioColunistasDérika Viana MachadoA assinatura do cônjuge na venda de um imóvel

A assinatura do cônjuge na venda de um imóvel

por Dérika Viana Machado

Sabemos que na compra e venda de um imóvel sempre surgem inúmeras dúvidas e a mais comum é: “meu esposo (a) / companheiro (a) precisa assinar também a escritura de compra e venda?”. Bom, para responde-la precisamos analisar dois fatores, o primeiro é o regime de bens adotado pelo casal e o segundo é o enquadramento patrimonial, se o imóvel é bem particular ou comum do casal.

Chamada de outorga conjugal é quando há a necessidade de autorização do cônjuge para alienar ou gravar ônus real os bens imóveis (art. 1.647, CC), abrangendo dois tipos, a outorga marital, quando é dada pelo marido e a outorga uxória, dada pela esposa, e esse conceito foi trazido pelo Código Civil de 2002 para impedir a dilapidação dos bens do casal, sendo obrigatória a autorização do cônjuge para a venda do imóvel em comum.

Inicialmente é necessário saber se o imóvel é patrimônio do casal ou particular de um dos cônjuges. Caso seja um patrimônio, não há que se falar em autorização, tendo em vista que o casal figura como proprietários. Já no caso de patrimônio particular (de apenas um dos cônjuges), é necessário analisar qual o regime de bens adotado pelo casal.

De forma didática, segue abaixo os respectivos regimes de bens que há a necessidade ou não da assinatura do cônjuge para alienar bens imóveis:

– No regime da comunhão parcial de bens, o cônjuge deverá assinar como Anuente em caso de transmissão de imóveis adquiridos antes de casamento. Para imóveis adquiridos na constância do casamento, assinará como vendedor;

– No regime da comunhão universal de bens tanto os bens adquiridos antes e depois do casamento o cônjuge comparece como vendedor;

– No regime da separação de bens, salvo condição expressa no pacto antenupcial ou no documento de aquisição do imóvel, o cônjuge não precisa comparecer como vendedor, nem como anuente;

– Já no regime da participação final nos aquestos, é dispensada a assinatura do cônjuge, desde que convencionado no Pacto Antenupcial a livre disposição dos bens imóveis particulares.

E no caso de venda de imóvel por pessoa que mantém união estável é necessária a anuência? A resposta é depende: Se comprovada a união estável precisa de autorização do companheiro para vender o imóvel. Se não comprovada a união estável, não precisa de autorização do companheiro para vender o imóvel.

Dérika Viana Machado – derikamachado.advocacia@gmail.com

Advogada Imobiliária e Presidente da Comissão de Direito Urbanístico e Ambiental da OAB Santa Isabel – SP

 

Artigo anteriorA barata e eu
Próximo artigoNo Pé do Ouvido
Érica Alcântara
Érica Alcântarahttps://jornalouvidor.com.br
Jornalista, escritora e poeta, Érica Alcântara se formou em Filosofia pela Universidade Federal de Ouro Preto, Bacharelado e Licenciatura e há mais de 10 anos atua como repórter do Jornal Ouvidor
RELATED ARTICLES
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Most Popular

Recent Comments

Érica Alcântara on Homero vira lenda
Érica Alcântara on Homero vira lenda
Érica Alcântara on Homero vira lenda
Ana Maria Monteiro da Silva on Homero vira lenda
Agenor Vallone on Homero vira lenda
Ana Paula Carrara on Homero vira lenda
José Francisco "Chiquinho" on Mais segurança em Arujá