Violência Doméstica a sangue frio

Arrependimento não mata! Se matasse Jane, 29 anos, estaria morta. Essa semana seu ex-marido tentou matá-la na frente da filha do casal. Nos sete anos em que viveram juntos a violência era uma rotina, mas ela nunca o denunciou na Polícia. – Hoje eu me arrependo!

Segurança Pública Cidades Em 27/04/2013 11:59:00

A Rua Pará tem pouco mais de 60 metros, possui oito casas simples onde vivem famílias pacatas e trabalhadoras. No fim de semana passado, essa calma foi quebrada por pedidos de socorro. Tiago Rodrigues Oliveira Venâncio, 18, conta os momentos de aflição que teve ao ver sua tia Jane R.O., 29 anos, ser esfaqueada pelo ex-marido na porta de sua casa na tarde de sábado. 

Foram cenas rápidas: Ela foi com a filha ao encontro do ex-marido, Adriano Correa, 30 anos, com quem a menina deveria passar o fim de semana. Ao se encontrarem ele pediu um beijo e ela negou. Foi o suficiente para ele tirar uma faca e atacá-la.

Com o rosto inchado e com dificuldade de se expressar em razão dos ferimentos que tem pelo corpo, Jane conta que começou a gritar por socorro e saiu correndo com o ex-marido atrás, acusando-a de manter outros relacionamentos. Segundo Jane, o ex-marido estava visivelmente embriagado o que facilitou a sua fuga. 

O sobrinho Tiago abriu o portão da casa no momento em que Adriano deu duas facadas no pescoço de Jane, enquanto a filha, de seis anos chorava pedindo que o pai parasse de esfaquear a mãe.

Para tentar conter o agressor, Tiago pegou uma vassoura e começou a bater em Adriano, mas  não adiantou, foi então que ele lembrou de um cabo de pá que estava atrás da porta. Armado com o porrete improvisado bateu duas vezes nas costas de Adriano: “Ele caiu no chão da cozinha e a minha tia conseguiu correr para rua pedindo socorro. Mas ele levantou e foi correndo atrás dela e continuou a esfaqueá-la”, diz. 

Thiago foi atrás e começou a dar várias pauladas no rapaz, na região do ombro, das costas e na mão e nas pernas, até que Adriano caiu permitindo que Jane se abrigasse na casa de uma vizinha. Mas dominado por uma fúria descomunal, Adriano se ergueu e continuou a perseguição: “Coberta pelo próprio sangue, já sem forças para correr Jane parou, foi quando este malfeitor conseguiu dar mais duas facadas nas costas dela. Minha filha pegou a enxada que estava no quintal e deu na cabeça dele, mas ele não caiu”, recorda a vizinha ainda assustada com a cena que testemunhou.  Outras pessoas que correram ao local conseguiram imobilizar Adriano até a polícia chegar.

Jane conta que desde o início do relacionamento já sofria agressões do ex-marido, mas nunca quis denunciá-lo para a polícia: “A gente sempre tem a esperança de que ele não ia mais me agredir”, conta arrependida de não tê-lo denunciado há mais tempo. Tiago conta que uma vez a família chegou a ligar para a polícia que foi até a casa da tia dele, mas ela não quis fazer nenhuma queixa: “O policial ainda disse para ela, hoje eu estou aqui para apurar uma denúncia, mas você não quer dizer se realmente ele te agride, amanhã eu posso voltar aqui para pegar o seu corpo se você continuar acobertando”, completa.

De acordo com o sobrinho a tia começou a receber as ameaças quando Adriano viu na página da rede social dela, que a mesma estava com um relacionamento sério com outro rapaz: “Ele sempre disse que se ela não fosse dele, não seria de mais ninguém e que não pensaria duas vezes para matá-la”, diz.

Adriano foi preso em flagrante por tentativa de homicídio e encaminhado para o 1° Distrito Policial de Guarulhos onde aguarda a decisão da justiça. Jane, com sete facadas em diversas partes do corpo, foi encaminhada para a Santa Casa de Misericórdia de Santa Isabel e na tarde da última quarta-feira, 24, recebeu alta. 

Veja o vídeo da entrevista com Jane no site: www.jornalouvidor.com.br