Vice ganhará 85% a mais em 2017

Sob protestos, vereadores aprovam aumento para executivo e legislativo

Política Em 27/06/2015 16:24:01

Reportagem Érica Alcântara

Apesar dos protestos com vaias e gritos da população a partir de 2017, graças aos projetos de Lei do Legislativo No 09 e 10, aprovados na quarta-feira, dia 24, os vereadores igarataenses receberão aumento de 77%, o prefeito de 48% e o vice-prefeito de 85%.


Poucas vezes a Casa de Leis de Igaratá obteve tamanho público numa sessão extraordinária, 30 minutos antes de iniciada, já havia cerca de 70 pessoas na plenária chegando a aproximadamente 100 até o término da votação.


Entre as vaias se ouvia reclamações como: “Para educação e para a saúde nada”; “Isso é uma vergonha”; “Outras classes pedem aumento há muito mais tempo”; “As estradas estão abandonadas e vocês isso é um absurdo”; “Prefeito não consegue sequer terminar a prefeitura e a creche não merece aumento”.


Os ânimos ficavam ainda mais exaltados quando o vereador Benjamim de Lima e presidente do legislativo Nilton César tentavam explicar que o aumento proposto é para a próxima gestão, que se iniciará em 2017. “Não é para nós, será para os próximos eleitos”, repetiam.


Benedito Carlos (PSDB), vereador responsável pela divulgação da proposta de aumento, único a se recusar a assinar o projeto destacou que no município não comporta aumento de subsídio nesta proporção e chegou a propor emenda em busca de uma redução, mas não obteve sucesso.


Pressionado pela opinião pública o vereador Gilmar Aparecido, embora tenha assinado o projeto com os demais colegas, na última hora voltou atrás e se aliou a Dito Carlos.


Para Benjamim e Nilton César, a manifestação contrária de Dito Carlos não passa de demagogia. “Se ele fosse realmente contra o aumento não teria aceito o valor integral que foi concedido ao legislativo a partir de 2009”, destacou Benjamim.


Em 2009 de R$857,38 os vereadores passaram a receber R$1.500,00. Benjamim destaca que se Dito Carlos fosse realmente contra os 133% de aumento concedido na ocasião, teria pego os R$642,62 de diferença e designado como doação mensal para uma entidade, ou teria aberto mão de receber, como fazia o ex-Prefeito de Santa Isabel, Helio Buscariolli. “Se ele não precisa do subsídio, tem todo o direito de abrir mão dele. Mas nós precisamos para atender melhor a população”, destacou.


Benjamim ressalta que atualmente os secretários municipais recebem pouco mais de R$5.500,00 e cumprem horário de trabalho, mas vereador em Igaratá exerce o ofício 24h/dia e é a principal referência de onde a prefeitura deve investir em infraestrutura. “Nós atendemos a população e apontamos via indicação e requerimento quais são as principais reivindicações”, diz.


Nilton César destacou que o presidente da Casa de Leis passará a receber o mesmo valor dos demais vereadores, para que o edil que se candidatar ao cargo seja aquele realmente disposto a exercê-lo.


Para a população, não houve argumentos que justificasse estas aprovações. “O que faz um vice- prefeito para merecer 85% de aumento? Oficialmente é uma espécie de espete do Prefeito e não possui um trabalho específico até que seja chamado para substituí-lo, se quer receber mais, nada mais justo que assumir uma secretaria e colocar a mão na massa para justificar seus honorários”, ressaltou uma moradora da zona rural.


Ao final da sessão, os munícipes prometeram condenar todos os vereadores desta gestão ao esquecimento: “Não voltarão a se eleger”, garantem.


O aumento do executivo e do legislativo foi aprovado pelo voto dos vereadores André Jacinto (Coquinho) (PMDB), Benjamim de Lima (DEM), Deodato Alves (PR), Jair Rufino (PSDB), Leandro Reis (PMDB), Moacir Prianti (PDT) e Nilton César (PP).


Os projetos agora serão encaminhados para o prefeito Elzo de Souza, que possui autoridade para vetá-los com base no impacto financeiro dos mesmos no município.
Veja em nosso site vídeo da sessão de câmara.

 

Cargo/função Subsídio 2015 Subsídio 2017 Aumento
Prefeito R$ 8.092,74 R$ 12.000,00 48,28%
Vice-prefeito R$ 3.237,10 R$ 6.000,00 85,35%
Presidente da Câmara R$ 3.641,72 R$ 4.300,00 18,07%
Vereadores R$ 2.427,83 R$ 4.300,00 77,11%