Vereador quer punir a Sabesp pela falta de Água

Márcio quer propor que uma vez notificada a empresa tenha um prazo para resolver o problema, caso isso não ocorra que passe a pagar uma multa diária a ser definida pelo poder executivo.

Cidades Em 02/02/2018 19:32:13

Depois de passar vários dias ouvindo reclamação de falta de água em diversos bairros da cidade e tomar conhecimento que a tarifa cobrada pela empresa foi reajustada, o vereador Márcio Pinho decidiu propor um projeto de lei que estabelece um prazo e uma multa para a empresa por falhas no abastecimento de água. Sua proposta será apresentada na segunda sessão da Câmara de vereadores desse ano.

- Se o consumidor não paga a sua conta, em pouco tempo a Sabesp vai lá e corta o abastecimento. É justo, portanto, que a empresa também sofra punição por não prestar o serviço de modo competente, diz o Vereador.

Márcio quer propor que uma vez notificada a empresa tenha um prazo para resolver o problema, caso isso não ocorra que passe a pagar uma multa diária a ser definida pelo poder executivo.

Na última quarta-feira, 31/01, Márcio esteve no escritório da Sabesp para tomar conhecimento dos problemas do abastecimento. Recebido pelo gerente Paulo Rogério Alves soube que não consta nos registros da empresa nenhuma reclamação recente por falta de água. 

Nas ruas, entretanto, o Vereador conversou com munícipes que relataram as mais diversas situações enfrentadas para sanar a falta de água. Desde os moradores que foram até a Sabesp para reclamar do abastecimento, aos moradores utilizando água de bica e os que fazem reuso de água de chuva.

Para Márcio, será necessário criar um protocolo para que o cidadão possa garantir que sua reclamação é devidamente processada pela empresa. Sem esse procedimento a população será sempre refém da Sabesp. – A empresa tem de ser punida por sua ineficiência, pela baixa qualidade da água que entrega e pela morosidade na atenção para com o usuário, defende o Vereador que em sua justificativa aponta que, embora uma grande parte da população de Santa Isabel tenha o benefício da tarifa social, o reajuste praticado pela empresa para 2018 foi de 7,88%: - De onde vem esse número? Trata-se de uma exorbitância se o próprio governo diz que a inflação foi de apenas 2,95%. Como o cidadão que recebe um salário mínimo que foi corrigido em 1,81% pode pagar uma conta cujo reajuste foi muito superior?

Márcio conclui que se a empresa tem a liberdade de estabelecer os valores a serem cobrados, tem também a responsabilidade de atender a população com excelência: - E isso implica em ser penalizada se houver falha. No projeto, o Vereador prevê que a empresa terá 48horas para solucionar o problema, mas antes disso terá de esclarecer aos usuários as razões para a falta de água, preferencialmente com antecedência.