Vereador produz provas contra si mesmo

No dia 25 de janeiro o vereador Reinaldo Nunes abriu prontuários, infringiu o sigilo médico dos pacientes e ainda publicou as fotos da ocorrência nas redes sociais

Cidades Saúde Política Segurança Pública Em 01/02/2019 22:43:46

Por Érica Alcântara 

Na quinta-feira, 31/01, o Diretor Clínico da Unidade de Pronto Atendimento – UPA de Santa Isabel, Dr. Orlando Tavares Pinheiro, registrou via sistema Online um Boletim de Ocorrência contra o vereador Reinaldo Nunes (PTB). Motivo: quebra do sigilo médico dos pacientes.

Na manhã do dia 25 o Vereador entrou na UPA acompanhado de uma assessora e, intimidando os funcionários, olhou os prontuários médicos dos pacientes, os fotografou, filmou, entrou no laboratório e causou constrangimento inclusive aos pacientes.

As informações contidas em um prontuário médico se referem a dados pessoais, da intimidade de cada paciente, por isso existem normas para garantir sua proteção, conforme assegurado no artigo 5º, inciso X da Constituição Federal que especifica: “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, asseguradoo direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”, consta na Lei.

Ainda nesta edição, a própria entidade gestora da UPA, a Santa Casa de Misericórdia de Santa Isabel, publica uma nota de esclarecimento referente ao caso, assinalando que tomará todas as providências cabíveis para que o mesmo não volte a acontecer.

Funcionários da UPA também assinalaram o desejo de registrar a ocorrência na Delegacia. Disseram que foram tratados de forma ameaçadora, pois o vereador entrou sem sequer passar pela recepção e abriu os prontuários na bancada para ler, mesmo depois dos enfermeiros alertarem que ele não podia fazer aquilo. 

Toda a ocorrência está registrada em filmagem feita pelas câmeras de segurança da UPA e nos próprios registros feito pela assessora do vereador que postou a notícia em sua rede social por volta das 23 horas. Até mesmo o vereador Gabriel da Água (PRB) que o acompanhava na fiscalização repetia: “Espera Reinaldo, não é assim. Não faz desse jeito!”.  

Reinaldo pedia atendimento preferencial

Reinaldo diz que tinha por objetivo garantir atendimento mais humanizado. Quando questionado se tinha o direito de ler os prontuários, ele diz: “Sim, só vi os horários, mas os médicos não registram isso no atendimento”, reclamou.

O Vereador afirma que uma idosa de 76 anos estava há cerca de três horas na espera. “Ela tinha a ficha verde”, especificou. Neste caso, a reportagem questionou: “Já que a paciente necessitava de atendimento básico, por que não levou ela no Posto de Saúde? Qual era o posto de saúde de referência desta paciente?”

Reinaldo admitiu que não sabia e insistiu que a idosa precisa ter atendimento diferenciado.

Prioridades na UPA

A Direção da UPA informa que a prioridade de atendimento é designada pela gravidade de cada caso. A “Triagem de Manchester” é um sistema que estabelece prioridades a partir de um protocolo clínico que permite classificar a gravidade da situação de cada paciente que recorre ao Serviço de Urgência. 

PTB vai avaliar a conduta

O presidente do Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, Marcelo Arena, diz que o partido não compactua e nem aceita este tipo de postura. “Vamos convocar uma extraordinária da diretoria do partido para avaliar a atitude do vereador”, afirma.