UPA não é prioridade, diz Secretário

Secretário de Saúde, Dr. Messias Covre, quer construir um Hospital Geral. Ele diz que a UPA do Barreto depende da Santa Casa de Santa Isabel, mas dispensa a parceria

Saúde Em 09/03/2018 16:20:59

Reportagem: Gabriel Dias

 

A audiência pública com o secretário de Saúde Dr. Messias Covre promovida pela Câmara de Arujá foi, para a maioria dos parlamentares presentes, um verdadeiro fiasco. “Ele se esquivou de responder e ainda mostrou que a administração não sabe o que fará com a saúde, projetos como a UTI Neo Natal, promessa de campanha do Prefeito eleito, já não são prioridade, assim como a UPA do Barreto”, reclamaram os vereadores e o público presente.

UPA Barreto 

Ao custo de R$3.494.228,62, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h do Bairro Parque Rodrigo Barreto é de porte I e, quando começar a funcionar, terá o mínimo de 7 leitos de observação, com capacidade de atendimento médio de 150 pacientes por dia. 

Contudo, o secretário de Saúde Dr. Messias disse que “a unidade só terá condições de começar a funcionar se a prefeitura conseguir firmar um convênio com a Santa Casa de Santa Isabel, nós aguardamos resposta da entidade”, disse.

Esta informação surpreendeu até os administradores da Santa Casa que, oficialmente, não tinham o conhecimento desta suposta dependência direta, descrita pelo secretário, durante a audiência. “Arujá nos procurou para pedir um orçamento para operar a UPA do Barreto, fizemos uma avaliação no local e chegamos num valor condizente pelo tamanho e necessidade do prédio e demanda local”, diz Alexandre Ribeiro, diretor administrativo da Santa Casa.

Na tarde desta sexta-feira, 09/03, um dos representantes da Santa Casa de Santa Isabel revelou que o convênio não será firmado. “Não apresentaram justificativas, tínhamos uma reunião marcada na Prefeitura de Arujá, no entanto, precisamos estender nossa conversa por telefone e numa simples ligação eles (Prefeitura de Arujá) disseram que não ficariam com nosso trabalho”, explica o porta-voz da Santa Casa de Santa Isabel.

Ainda de acordo com o representante da Santa Casa, o projeto apresentado a Prefeitura de Arujá continha a contratação de três médicos e um corpo clínico de qualidade para atuar na UPA.

A Prefeitura foi questionada, mas não retornou aos contatos até o fechamento desta edição.   

Hospital Geral

Enquanto o imóvel milionário da UPA do Barreto continua fechado e, aparentemente, sem destino certo. Na prefeitura a preocupação descrita pelo secretário é a construção de um Hospital Geral. 

Na semana do dia 27/02, o Prefeito de Arujá José Luiz Monteiro (PMDB), acompanhado pelo secretário de Saúde, estive em Brasília e em reunião com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou um pré-projeto solicitando recursos na casa de R$34 milhões, para construir um Hospital Geral na Rua Major Benjamim Franco.

“Mais importante que a UTI Neo Natal e a UPA do Barreto é a implantação de um Hospital Geral em Arujá, com 80 leitos para atender a demanda. Mas este projeto ainda está em fase de aprovação”, explicou Dr. Messias.

Falta Medicamento

A vereadora Cris do Barreto (PSD) questionou o Secretário sobre a falta de medicamentos nos postos de saúde, e na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher a resposta seca e dura foi: “Vivemos em São Paulo Brasil, essa é a realidade nacional”, disse Covre.

“Foi uma audiência inconclusiva e com falta de planejamento. Dr. Messias é uma pessoa esforçada, no entanto, não um gestor da pasta. As respostas do secretário de Saúde eram lidas, ou seja, uma assistente escrevia e ele dava a resposta lendo”, lamenta Rogério da Padaria (PSD), Presidente da Comissão de Saúde.

Para Israel Antônio, mais conhecido como Índio do Cachoeira, a audiência foi muito ruim: “Não entendemos nada, o secretário foi muito questionado, mas não sabia responder”, lastimou.

 

Notícias Relacionadas