Tragédia nas escolas de Arujá

Menina de 8 anos denuncia no MP a crise na Educação de Arujá. Inaiá Soares foi eleita em 2018 delegada da Conferência Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente. Hoje ela luta por uma escola mais segura, com professores e mais limpeza

Educação Em 08/02/2019 22:11:00

por Érica Alcântara

Em sua primeira semana de aula, Arujá teve que suspender as atividades pedagógicas em algumas unidades de ensino em razão do grande volume de infiltrações que impossibilitou as aulas. Na E.M. Professora Hermínia Araki, por exemplo, não teve aula na terça-feira, 05/02, pois diversas salas, corredores e escadas ficaram alagados pela água da chuva que escorreu por paredes e teto durante todos os dias chuvosos. 

Na quarta-feira, dia 06/02, Elaine Naziozeno, mãe de dois alunos matriculados na E.M. Professora Hermínia Araki filmou a situação da escola, a filmagem está disponível nas redes sociais do Ouvidor.

Na quinta-feira, 07/02, com apenas 8 anos Inaiá Soares, filha da Conselheira Tutelar Hamaita Soares, protocolou no Ministério Público de Arujá uma carta escrita a lápis em uma folha de papel timbrado do MP. No documento, a menina descreve a falta de professores e as dificuldades com a falta de infraestrutura na E.M. Zilda Arns Neumann. 

“Quando fazemos educação física, a camisa fica cheia de cocô de pombo. Um risco de vida”, descreve Inaia que, no fim do ano passado, participou em da Conferência Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente e saiu de lá como delegada. 

Hamaita diz que não interferiu em nada, deixou a menina em sua espontaneidade registrar a reclamação, mas confessou ter orgulho da filha, por zelar pelo direito de estudar.   

Enquanto representante do Conselho Tutelar, Hamaita diz que essa situação não pode continuar: “Há risco eminente contra a vida de nossas crianças. Precisamos que os pais registrem a reclamação no Conselho Tutelar ou direto na Promotoria, para que possamos exigir as providências, conforme artigo 98 do ECA”, diz.

Educação responde

A secretaria Municipal de Educação de Arujá informa que as cinco unidades de ensino que apresentaram problemas em função das chuvas desta semana estão recebendo serviços de manutenção emergencial. 

“As equipes estão percorrendo a Hermínia Araki e Noeli Simone da Silva, no Parque Rodrigo Barreto; Isabela Pavani Castilho Cruz, no Copaco; Maria Herbene Patrícia Damasceno, na Chácara São José, e Márcia Poli, no Mirante para realizar reparo ou troca de telhas e limpeza de calhas”, informa a sec. de Educação.