Tragédia na coleta de lixo

Morre no aterro municipal um funcionário público de Igaratá

Cidades Em 10/01/2020 22:19:49

O servidor da prefeitura de Igaratá, Nelson de Almeida, 52 anos, gostava de trabalhar. Mesmo nas horas de folga, era incansável na busca de latinhas de alumínio que suplementassem os seus vencimentos. Foi com essa preocupação que na manhã de terça-feira passada, depois de abrir a porteira do aterro sanitário municipal, subiu para a carroceria enquanto o caminhão se encaminhava para o local do descarte do lixo.

Na véspera, Nelson havia retornado das férias. Férias que foi interrompida algumas vezes pelo chamado para ajudar na coleta do grande volume de lixo gerado pelas festas de natal e ano novo. Todas as vezes que chamado, Nelson juntava-se à equipe com que trabalhava há 23 anos e corria pelas ruas da cidade atrás do caminhão.

Na manhã de terça-feira ele subiu à caçamba do caminhão pela última vez. Apesar de seus companheiros terem o chamado para permanecer na cabine do veículo ele insistiu. Queria acelerar o trabalho, romper as centenas de sacos de lixo na expectativa de coletar mais das preciosas latinhas.

Não se sabe as razões, a Polícia investiga se ele sofreu um mal súbito, mas silenciosamente quando o caminhão fez uma curva, devagar em consequência da lama que dominava o aterro, Nelson caiu da caçamba, diretamente sob a roda do veículo.

De nada adiantou o esforço desesperado dos colegas de trabalho, nem os equipamentos de proteção que ele utilizava. Nelson morreu no local sob o choro compulsivo dos companheiros. Uma viatura do SAMU chegou a ser acionada, mas apenas constatou o óbito. 

O serviço de coleta de lixo foi suspenso no dia seguinte para que os colegas de trabalho pudessem comparecer ao velório onde também estavam o prefeito Celso Palau, o secretário de obras e serviços e outros funcionários da Prefeitura. Nelson deixou a companheira e uma filha.

Lamentando o acidente, o Prefeito Celso Palau ofereceu todo o apoio aos familiares e determinou à secretaria de saúde e a de assistência social que promovesse inclusive o acompanhamento psicológico aos companheiros de trabalho que testemunharam o fato registrado na polícia civil como acidente de trânsito com vítima fatal.