TESTES INDICAM QUE AS URNAS ELETRÔNICAS PODEM SER HACKEADAS

por Dr. Luis Camargo

Crônicas Em 11/08/2017 19:56:20

Nessa semana foi acesa luz amarela quanto a segurança da urna digital no Brasil, e diversamente de outras ocasiões, quando somente curiosos discutem o assunto, dessa vez quem trouxe a assombrosa informação, pouco divulgada na imprensa, foi Ronaldo Lemos, diretor do Instituto de Tecnologia do Rio de Janeiro, mestre em direito por Harvard, e pesquisador e representante do MIT no Brasil.

A discussão sobre a confiança do uso da urna eletrônica foi tema da maior conferência "hacker" do planeta, a Defcon, que aconteceu recentemente em Las Vegas, nos EUA. Os hackers investigaram, pela primeira vez, a segurança das urnas eletrônicas, e foi a conclusão, pois os modelos testados foram facilmente invadidos em poucas horas.

A questão da segurança das urnas eletrônicas no Brasil deve ser abordada com maior critério, especialmente em face das próximas eleições de 2018, quando mudaremos todo o quadro de comando central do país e dos estados, pois em razão dos resultados das pesquisas, não restam dúvidas que, existem riscos de ciberataques nos processos eleitorais, podendo o sistema digital ser vítima de manipulação.

Os organizadores da conferência, nos EUA afirmaram que o objetivo do experimento foi chamar a atenção para os possíveis problemas das urnas, tendo sido testadas mais de 30 máquinas, de várias marcas e modelos, inclusive da Winvote, Diebold, justamente que fabrica as urnas utilizadas nas eleições brasileiras. 

Alguns equipamentos foram hackeados sem ao menos contato físico, mas apenas mediante uma conexão de wi-fi insegura. Outras máquinas, segundo relatado pelo pesquisador, foram reconfiguradas por meio de portas USB.

No Brasil, a medida sugerida para se evitar esse tipo de risco, o ciberataque, seria permitir que as urnas sejam amplamente testadas pela comunidade científica, caso contrário, nos restará apenas continuar acreditando que as urnas brasileiras são infalíveis e superiores à todas as demais existentes no resto do mundo.