Somos todos culpados

por Roberto Drumond

Crônicas Em 27/09/2019 21:01:16

A adolescente Greta Thunberger, 16 anos, chamou a atenção do mundo a discursar na Cúpula do Clima convocada pela ONU. Com raiva e vigor chamou a atenção dos líderes mundiais para as “palavras vazias” que permitem que se vislumbre, o “início de uma extinção em massa” enquanto os governantes discutem em torno do “dinheiro e um conto de fadas de crescimento econômico eterno”.

Com o jovem rosto franzido e visivelmente nervoso registrou que “por mais de 30 anos a ciência tem sido clara”, anunciando o impacto que as alterações do clima vão atingir o planeta e a humanidade. E questiona: “Como ousam seguir ignorando os alertas e vir aqui para dizer que estão fazendo o bastante?”.

Greta falou em New York sobre o mundo, mas tudo que ela disse cabe aqui! Temos tantas queimadas que nossas montanhas e serras parecem uma Amazônia miniaturizada. É absolutamente vergonhosa a situação de nossos rios, repletos de garrafas pet, sacos de lixo, latas e dejetos. Nossas ruas são depósito de lixo, entulho e outros bens inservíveis para alguns e que acabam sendo queimados, aumentando ainda mais os efeitos danosos ao meio ambiente.

Ao nosso lado, a nossa galinha dos ovos de ouro, a represa tão decantada como principal atrativo turístico da região, razão dos investimentos de centenas de pessoas na busca de um lugar melhor para viver e descansar? Como anda? Poluída, com cada dia mais plantas cobrindo as águas, reduzindo o sol tão importante para a alimentação dos peixes, com suas águas adubadas e sobrecarregada de esgoto e de lixo.

Certamente que nossas autoridades podem ser cobradas pela inércia equivalente a dos mais de 60 líderes mundiais que assistiram a fala de Greta. Mas, não seremos todos nós tão culpados quanto os que nos governam? Estamos usando menos sacos plásticos? Temos separado o lixo orgânico e o reciclável? Onde estamos descartando o que não nos serve mais?

Talvez possamos fazer um pouco mais antes de cobrarmos de nossos governantes. Temos de entender melhor essa situação e, se ainda assim seguir falhando em nossas ações, é porque somos maus: - “E nisso me recuso a acreditar”, Greta nos diz!

Ou, quem sabe ela tem razão: “não somos maduros o suficiente para dizer que estamos falhando”. Vamos nos cuidar porque, como diz a jovem sueca, “os jovens estão começando a entender a nossa traição. Os olhos das gerações futuras estão voltados para nós. E jamais seremos perdoados por nossos erros”.