Semelhanças e Diferenças

Como o GPI (Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal) leva a comparação entre Lula e Temer

Colunas & Opiniões Em 22/03/2019 21:54:38

A prisão de Michel Temer na manhã de quinta-feira me apresentou um personagem que, confesso, me surpreendeu: a ostentação militar do GPI (Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal). A internet diz que se trata de uma tropa de elite que atua para preservar os cidadãos, o direito e a ordem, criado para fazer frente aos riscos nos eventos grandiosos agendados para o Brasil a partir de 2009. 

Diz a internet que o principal objetivo do GPI é transmitir a primeira resposta nas situações de riscos como assaltos a banco, ações em favelas, prisão de alvos considerados mais perigosos, controle de distúrbio civil e outras situações complicadas do ponto de vista da segurança. Foram esses personagens que tiveram como missão de alto risco prender Michel Temer. 

Não tenho pretensão nenhuma de defender o ex-presidente, muito pelo contrário, acho que ele tem de responder por sua história nebulosa até mesmo para que o Brasil possa, no futuro, definir o seu verdadeiro papel como deputado, ministro de vários governos até chegar à presidência da república numa sucessão conturbada.

Apenas vejo esse cenário no qual ele foi preso com olhos um tanto críticos. O aparato militar utilizado para prender Temer em uma das mais importantes vias de São Paulo pretendia, ao que parece, não somente conduzi-lo à prisão, mas ganhar manchete no mundo. O Brasil é o país que tem dois ex-presidentes presos acusados de corrupção.

Quando Lula foi convidado, pela primeira vez, a prestar depoimento para a lava jato, negou-se a comparecer ao aeroporto de Congonhas onde o Juiz o aguardava, vindo especialmente de Curitiba para ouvi-lo. De outra feita, repetiram o convite e acabaram por utilizar a condução coercitiva, já que ele insistia em estar acima da lei.

Lula foi julgado, condenado e na execução da refugiou-se no Sindicato dos Metalúrgicos onde, cercado por populares, aguardou o momento que o interessava para entregar-se às autoridades judiciárias. Em nenhum momento o GPI apareceu, exceto no aeroporto de Curitiba a caminho da Superintendencia onde ele segue preso.

A semelhança entre Temer e Lula é o fato de serem ex-presidentes e responderem na Lava Jato, mas a diferença entre eles pode ser medida pelo GPI: a prisão de Lula causou uma comoção popular que ofereceu, de fato riscos à ordem. A de Temer não teve nenhuma repercussão, foi como se fosse esperada e ele segue em prisão preventiva (sem prazo de vigência). O que se viu na prisão de Temer foi a mais absoluta indiferença, onde foi desnecessária tamanha e inútil ostentação.