Saúde vira caso de Polícia

Sem médicos no P.A. do Centro, vereadores encontram Prefeito da cidade atendendo os pacientes. Caso foi parar na Delegacia

Saúde Em 13/07/2018 20:27:48

Na madrugada de domingo para segunda, 09/07, os vereadores Renato Caroba (PT), Cris do Barreto (PSD), Rafael Laranjeira (PSB) e Luiz Fernando (PSDB), foram informados de que o Pronto Atendimento do Centro de Arujá estava sem médico de plantão. O caso chamou atenção dos vereadores que acionaram a Polícia Militar e registram um Boletim de Ocorrência por omissão de socorro.

Antes de todo ocorrido, os quatro vereadores fizeram uma visita surpresa no P.A. e constataram a falta de médicos no local, mas, foram surpreendidos ao verem quem em uma das salas, o Prefeito José Luiz Monteiro (MDB) realizava atendimentos no lugar dos médicos que não foram trabalhar.

Rafael Laranjeira disse que “os vereadores procurarão a Justiça para punir os responsáveis pela negligência”. O vereador Renato Caroba foi mais além e disse que mensalmente o município arca com uma despesa de R$2,5 milhões para que o P.A. funcione normalmente e “nos deparamos com este absurdo”, lamenta.

O Boletim de Ocorrência foi registrado quatorze dias depois de vereadores e Prefeito se reunirem nas dependências da Câmara para debater os problemas da Gestão da Saúde em Arujá.

Secretário de Saúde é Exonerado

24h depois do ocorrido no P.A. Central, a Prefeitura de Arujá emitiu um comunicado oficial de que o secretário de Saúde, Dr. Messias Covre, foi exonerado da pasta e que não responde mais pela Saúde arujaense. A exoneração do ex-secretário foi feita no dia, 10/07

“Os motivos que levaram a exoneração do Dr. Messias Covre foram os problemas relacionados a área”, diz a nota da Prefeitura. A Prefeitura também nomeou interinamente como secretária de Saúde, Carmen de Araújo Pellegrino, que atuou como diretora da pasta.

Crise na Saúde em Arujá

A empresa responsável pelos atendimentos no P.A. Centro, no P.A. Barreto e Maternidade, é a Inovação. A prefeitura informa que o contrato, de R$2,3 milhões mês, é emergencial e já foi prorrogado por 90 dias, devendo encerrar-se em 18 de agosto. 

“O Prefeito fará uma reunião com a diretoria clínica da unidade, que deverá apresentar as justificativas para o ocorrido. Após o encontro, as medidas e penalidades serão informadas”, diz a administração.

A Prefeitura afirma que os problemas das unidades, hoje administradas pela Inovação, serão solucionados com a contratação de uma empresa por meio de processo licitatório. “É lastimável a população que busca por atendimento se deparar com uma unidade sem médicos. E nós não admitimos que se repita”, diz José Luiz Monteiro.

 

Cidadão de olho: Assim como os vereadores a população também pode fiscalizar. Segundo contrato, a Inovação deve manter:

PA Centro - 2 clínicos gerais e 1 pediatra 24 h. 1 médico diarista de segunda a sexta-feira. 3 clínicos gerais aos sábados, domingos e feriados. Ortopedista 40h semanais de segunda a sexta-feira e plantão 12h aos sábados.

Maternidade - 2 ginecologistas, 1 anestesista e 1 neonatologista 24 horas. 

PA Barreto: 02 clínicos gerais e 01 pediatra 12h nos sete dias da semana.