Saúde: Arujá apresenta balanço sobre o e-SUS em Brasília

A implantação do e-SUS como um dispositivo de organização dos processos de trabalho na atenção básica de Arujá

Saúde Em 06/06/2019 16:06:12

por Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Arujá

A implantação do e-SUS como um dispositivo de organização dos processos de trabalho na atenção básica de Arujá. Este foi o tema central da apresentação que o diretor do Núcleo de Informações e Faturamento da Secretaria Municipal de Saúde, Paulo Alves Gomes, fez no Encontro de Municípios Pilotos e-SUS Atenção Básica – Qualificação e Troca de Experiências, realizado entre estas terça e quarta-feiras (04 e 05/06), em Brasília.

A diretora técnica da Atenção Básica e Vigilância em Saúde, Mirian Miletti, os enfermeiros da Estratégia Saúda da Família (ESF) do Parque Rodrigo Barreto, Emerson Lopes de Souza, e Jardim Emília, Denise Sirenoni Cruz, também participaram do encontro, que contou com representantes de apenas dez municípios brasileiros sendo somente dois de São Paulo: Arujá e Marília. Do Ministério, participaram os diretores de departamento Alberto Tomasi, Jackson Venâncio de Barros, Otávio Pereira D'ávila e Lucas Alexandre Pedebos.

“Arujá é uma referência regional e até estadual no que diz respeito ao e-SUS. Para a Secretaria, estar entre estes dez municípios é motivo de muita satisfação. Agradeço aos servidores que trabalham diariamente para melhorar nossa Saúde, sobretudo na atenção básica”, afirma a secretária Carmen Pellegrino.

A cidade foi a primeira a apresentar resultados e propor melhorias na plataforma de prontuário e procedimentos eletrônicos do Ministério da Saúde. Durante o evento, houve uma mostra da estrutura física arujaense na área, como a quantidade de Unidades Básicas de Saúde e a existência de Maternidade, Prontos Atendimentos e Centro de Especialidades Médicas, bem como das condições de serviços, ações e estratégia, como a as equipes de ESF, Multiprofissional de Atenção Domiciliar (Emad) e a implantação de internet banda larga por fibra ótica nas sete UBSs.

Conforme explicou Paulo Gomes, Arujá foi a primeira cidade do Alto Tietê a implantar o e-SUS, em 2014. Para isso, foi necessário que cada UBS contasse com equipamentos de informática (computador, impressora, aparelho no-break e servidor); infraestrutura de rede e internet de fibra ótica; treinamento dos profissionais da administração, recepção, enfermagem, médico e agente comunitário de saúde; suporte e manutenção corretiva e evolutiva do sistema de prontuário eletrônico e manutenção e reposição dos aparelhos de informática e rede.

Entre os benefícios foram apontados a promoção do avanço tecnológico; reestruturação nas formas de coleta de dados e validação; organização e compartilhamento de agendas e prontuário eletrônico e o monitoramento e a avaliação dos indicadores.

Além disso, a equipe de Arujá mostrou que o município já recebeu visitas de técnicos de outras 13 cidades e apresentou propostas de melhorias, como aviso via e-mail ou mensagem de confirmação e cancelamento de consulta médica, entre outros.

“Uma coisa que anunciaram e vai nos ajudar muito é a melhoria do canal de comunicação entre o Ministério da Saúde e o laboratório que desenvolve o e-SUS, na monitoria e no proveito dos apontamentos que as cidades fazem”, disse Paulo Gomes.