Santa Marcelina presta contas e se despede

Em reunião funcionários da saúde, Instituto Santa Marcelina sai de cena sob elogios do Prefeito que lamenta o fracasso do projeto. Responsáveis dizem que atitude de vereadores tornou impossível a permanência da entidade no Município

Cidades Saúde Em 27/11/2015 19:49:24

Reportagem: Bruno Martins

 

“Saio com a certeza de que fizemos o melhor para a Saúde isabelense, mostramos que é possível fazer saúde de qualidade na atenção básica”. Leni Uchoa, coordenadora do Santa Marcelina. 

 

Cerca de 137 mil visitas domiciliares, 37 capacitações envolvendo palestras e cursos de reciclagem a seus mais de 90 funcionários e um trabalho permanente direto com a comunidade. São estes os números e as ações que sintetizam o trabalho da Organização Social (OS) Santa Marcelina durante dois anos na administração da Estratégias e Saúde da Família (ESF’s) em Santa Isabel. Apesar de continuar na função até sexta-feira, 04, a OS se despediu, nesta semana, oficialmente da cidade. Para o seu lugar, a única candidata a apresentar o plano de trabalho para administração das ESF’s, a Ideal Saúde, atual administradora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, não foi aceita na licitação e Executivo terá que contratar emergencialmente outra empresa.

“Pegamos equipes que não se conversavam, pareciam postos de saúde em cidades diferentes, cada um fazia a administração que queria do jeito que achava certo e hoje podemos olhar as mudanças significativas. Funcionários compromissados com suas comunidades e que fazem questão de se reunir diariamente para traçar planos, apresentar dificuldades e propor melhorias”, ressalta, com orgulho, a coordenadora da OS em Santa Isabel, Leni Uchoa.

Na criação de um roteiro para identificar os pontos positivos e negativos de cada unidade, no início da administração, Leni pontua, que foram encontrados 14 pontos de não conformidade com a portaria de atenção básica Nº 2.488 de outubro de 2011. A OS entrega a administração com 11 pontos cumpridos: “Embora não tenhamos concluído três itens, demos passos importantes para consegui-los. Agora está nas mãos do município dar continuidade”, disse.

Todos os 85 funcionários das ESF’s, receberam cursos ministrados por professores e alunos da faculdade de medicina do Santa Marcelina e mesmo sem ser de sua responsabilidade, a OS, fez questão de capacitar os agentes de saúde e ainda conseguiu, através da secretaria de Saúde, estender o contrato destes profissionais, que antes era de apenas um ano, renovando-os, agora, a cada ano.

Ao todo os agentes de saúde realizaram mais de 107 mil visitas domiciliares, outras 29.113 foram feitas por profissionais da saúde bucal, enfermeiros e auxiliares de enfermagem e pelos médicos de cada ESF. Foram 51.914 consultas médicas ofertadas nas oito unidades e quase duas mil reuniões com as comunidades.

Na apresentação feita na quarta-feira, 25, no salão nobre da Câmara Municipal e na presença de vereadores e do prefeito Pe. Gabriel Bina a superintendente da OS, irmã Rosane Ghedin e a diretora Dra. Monique Bourgeta agradeceram a confiança do executivo nos trabalhos do Santa Marcelina. Pe. Gabriel fez questão de ressaltar que todos os itens propostos no contrato, foram cumpridos.  

Ideal Saúde é desclassificada de licitação

Com um plano de trabalho incompatível com o que era exigido para administrar as ESF’s e a falta de cópia de documentos importantes como reprodução de RG e CPF do médico responsável pela empresa, a Ideal Saúde foi desclassificada do processo licitatório para administrar os postos de saúde em Santa Isabel. 

De acordo com a comissão da secretaria de Saúde, a empresa prometia em seu plano de trabalho, ter um médico 24h nos postos de saúde, uma vez que eles só funcionam das 8h às 17h. Cada unidade contaria ainda com auxílio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): “Foi basicamente um cópia e cola que mistura plano básico de saúde com urgência e emergência. Não se deram ao luxo de sequer ler o projeto antes de entregar”, pontuou Patrícia Ferrari, membro da comissão. 

O médico, representante da Ideal no município Dr. Walter Gilberto Guinger justificou que não teve acesso a criação do plano. A secretaria de Saúde garantiu que não haverá interrupção dos serviços nos postos de saúde e que algumas empresas já realizam visitas nas unidades, para assumi-las emergencialmente, por um período de três meses.