Santa Isabel sem atendimento odontológico

Secretário promete resolver o problema em 30 dias

Saúde Em 11/08/2017 19:40:36

- Uma estrutura cara que não está servindo à população de Santa Isabel. Assim o vereador Dr. Márcio Pinho (PSC) se referiu ao Centro de Odontologia de Santa Isabel observando que desde fevereiro de 2015 a população que busca os serviços de saúde bucal não está sendo atendida. Indignado ele informa que mais de 2.500 pessoas aguardam na fila de atendimento, sendo que 1300 pacientes são crianças.

 - Estou estarrecido!, diz ele. Dr. Márcio é cirurgião dentista e na quarta-feira passada esteve no Centro ouvindo os funcionários.

No dia seguinte, o Vereador – dentista procurou o secretário de saúde, José Heleno Antônio Pinto para solicitar providências e descobriu que sucessão de falhas burocráticas e a falta de recursos emperraram a máquina administrativa impedindo o desenvolvimento dos serviços.

Em entrevista ao jornal Ouvidor transmitida ao vivo pela rede de internet, Márcio contou que o processo seletivo que está “sub judice” não permitiu a contratação de mais dentistas, tornando inúteis os equipamentos instalados no Centro. – Ali existem sete cadeiras, cinco estão quebradas, assim como as canetas odontológicas (motor/rotor); o autoclave utilizado para esterilizar as ferramentas e, até mesmo o compressor já dá sinais de esgotamento, observa.

Na conversa com os funcionários do Centro e com um dos dentistas que atende no local Márcio ficou sabendo que os dois profissionais atualmente trabalham em regime alternado, mas que de 15 em 15 dias, o horário coincide fazendo com que eles se revezem, enquanto um faz a extração de um dente, ou outro trata de uma cárie com a caneta odontológica.

Segundo o Vereador, o Secretário Heleno comprometeu-se a resolver o problema no prazo de 30 dias e para isso estuda uma forma de celebrar convênio com clínicas particulares para desafogar a demanda. Márcio também afirmou que os atendimentos odontológicos nos postos de Estratégia de Saúde da Família estão funcionando regularmente, aliviando parte da demanda e substituindo o ônibus que, até alguns anos atrás, fazia o atendimento de bairro a bairro. – Hoje apenas uma parte da zona rural não está tendo atendimento, mas espero e exijo que em breve esse atendimento na saúde bucal seja total.