Santa Isabel em Estado de Emergência

As chuvas desta semana inundaram as principais ruas da cidade. Moradores e lojistas perderam móveis, mercadorias, roupas e alimentos. Diante da catástrofe Prefeito decretou Estado de Emergência

Cidades Em 11/03/2016 14:50:03

Reportagem: Bruno Martins

 

Com a chuva de quinta-feira a Barragem construída no Bairro Recanto do Céu em 2014, pela Prefeitura, como medida de solução para a falta de água da época, se rompeu. O fornecimento de água pela ETA I foi interrompido durante toda a manhã de ontem em decorrência da inundação no sistema de bombeamento. A Sabesp informou apenas que abastecimento está normalizado, mas não disse se irá construir uma nova barragem.    

 

Quando ainda contabilizavam os prejuízos causados pela chuva de segunda-feira, 07/03, os isabelenses foram surpreendidos por um forte temporal na noite de quinta-feira, 10, que perdurou por toda a madrugada. Salões de cabeleireiros, floriculturas, casas, lojas de roupas e sapatos, estabelecimentos públicos e até unidades de saúde, não há quem more no centro ou nos bairros um pouco distantes que não tenha uma história para contar da chuva torrencial, que além da água, trouxe destruição e perda.

No centro ninguém conseguiu vencer o Ribeirão Araraquara,cujas águas transbordaram e sem controle invadiram as avenidas Prefeito João Pires Filho e República. Algumas lojas só conseguiram abrir as portas para o público a partir das 15h, período em que a água barrenta baixou por completo e a Prefeitura conseguiu lavar parte da via enlameada. 

O drama de Santa Isabel começou pela porta de entrada da cidade. No Km 191 da Rodovia Presidente Dutra houve queda de barreira que interditou toda a via sentido Rio de Janeiro. Já na Rodovia Arthur Matheus, próximo a Pedreira Santa Isabel, uma árvore inteira caiu na pista sentido Dutra, obrigando os motoristas a cortarem caminho pela pista contrária. Na Av. Coronel Bertoldo, funcionários da Prefeitura retiraram da calçada e da pista toda a terra que se soltou de um barranco em frente ao Batalhão da Polícia Militar.

Foi também no Bairro Jd. Eldorado que a encosta da Av. Pref. Osvaldo Rodrigues da Silva cedeu, o que obrigou a Defesa Civil a interditar parte da via. A Transportadora Ajato Vale perdeu, praticamente, todo o seu galpão depois que um muro de contenção atrás da propriedade caiu. 

As estradas ruas ficaram interditadas praticamente durante todo o dia: ribeirões saíram de suas calhas ocupando o leito das vias e as casas em suas margens. No Varadouro uma enorme cratera transformou a estrada em cachoeira. No Jaguari um deslizamento de terra arrastou árvores para as estradas bloqueando totalmente o tráfego. Até o final da tarde de ontem, moradores utilizando motosserras e um trator particular tentavam liberar a estrada do Itapeti, também interditada por um deslizamento.

Diferente de segunda-feira que muitos ainda estavam no trabalho quando a chuva caiu sobre Santa Isabel, na última quinta-feira todos já estavam em casa, alguns se preparavam para dormir quando a água que caia sobre o telhado começou a entrar pelas fretas das portas. O músico Elias da Silva residente na Rua dos Advogados, região central, conta que já eram quase 23h quando sua residência começou a ser inundada. Elias salvou o que pode colocando móveis em cima da cama.

Devanilce Francisco teve sua casa na Rua João Pessoa, invadida pela água nas duas chuvas desta semana. Com ajuda da filha, grávida de sete meses, ela conseguiu colocar geladeira, fogão, sofá e outros objetos em pontos altos onde a água não atingia. A mesma rapidez ela não teve para salvar os móveis da irmã que mora numa casa aos fundos da sua. 

A água na Praça Fernando Lopes, no entorno do prédio do gabinete do prefeito, chegou a quase um metro de altura. Lojas de sapato tiveram prejuízos ainda incontáveis. A água ea lama invadiram as lojas sujando e estragando mercadorias: “Quando chegamos de manhã aqui os sapatos estavam no chão cheios de lama”, disse um lojista. Quem estacionou seus carros numa das vagas no entorno da Praça, também teve seu veículo arrastado. 

As aulas foram suspensas ontem nas escolas EMEI Paulo do Monte Serrat, Escola de Educação Especial Sergio Alves Porto e nas Escolas Estaduais Profª Gabriela Freire Lobo e Major Guilhermino Mendes de Andrade. 

Até quarta-feira, 09, a Prefeitura já tinha utilizado mais de 100 mil litros de água na limpeza de ruas e prédios públicos. De acordo com o secretário de Serviços Municipais, João Ravazzi, duas retroescavadeiras, um caminhão pipa e um trator pipa estão sendo utilizados na limpeza que se estenderá até a próxima semana. A Prefeitura contou com apoio da Sabesp na doação de água e da Empresa Sanisa que emprestou um caminhão pipa para limpeza da Av. República. Mais de 30 funcionários da equipe de Obras da Prefeitura trabalharam até o início da noite de ontem na limpeza da cidade. 

Ao todo a secretaria de Serviços Municipais recolheu dez caminhões cheios de móveis de moradores que perderam a mobília após a enchente. Ravazzi informou que todos esses objetos foram levados para o transbordo e em seguida para o aterro sanitário de Guarulhos. 

O Corpo de Bombeiros de Arujá auxiliou no socorro a uma família ilhada na Rua Padre Leonidas da Silva, Bairro Jd. Cruzeiro. A residência foi completamente destruída pela força da água. Um drama parecido foi vivido por algumas pessoas na Rua Mario Mendes de Camargo e no Bairro Jd. Eldorado: “Não há o que salvar, perdemos tudo”, lamentou uma das vítimas. 

Quem teve um prejuízo ainda não calculado foi à secretaria de Assistência e Promoção Social. Mais uma vez o prédio da Unidade foi tomado pela água destruindo móveis, colchões e cobertores que eram para doação, além de geladeiras e freezers.

Essa foi considerada por todos a chuva mais forte dos últimos anos. Dados do Climatempo confirmam que nesta semana choveu cerca de 144 milímetros, mais da metade do que é previsto para o mês inteiro que é de 177mm. Para este final de semana estão previstas pancadas de chuva no final da tarde.

 

Prefeito Decreta Estado de Emergência

Em entrevista coletiva na tarde de ontem o Prefeito de Santa Isabel Pe. Gabriel Bina anunciou que a cidade está em Estado de Emergência. A medida segundo ele, visa ter maior agilidade na compra de produtos para a limpeza e manutenção das áreas do município e adquirir ajuda às famílias atingidas pela chuva. 

O Prefeito informou que as doações as famílias que perderam praticamente tudo estão concentradas no Ginásio Municipal de Esportes: “Estamos recebendo doações de roupas, mantimentos e produtos de higiene pessoal. Caso a defesa civil interdite algumas casas, as famílias serão recolhidas para o Ginásio de Esportes, por isso toda ajuda é muito valiosa”, discursou o Prefeito. Várias pessoas estão se mobilizando através da rede social para ajudar Santa Isabel. O Ginásio fica na Rua Hyeróclio Eloy Pessoa Barros, ao lado da Câmara Municipal. 

O Jornal Ouvidor agradece aos seus leitores pelas mais de 300 fotos e vídeos enviados nesta semana de diversos pontos da cidade através do WhatsApp, que contribuíram significativamente mais uma vez pela boa cobertura de nossa reportagem. 

 

Notícias Relacionadas