Roger, o criador de triciclos

Na garagem de sua casa Roger monta os triciclos que desfilam pela cidade e região

Perfil Em 28/07/2017 19:44:32

É ao som do rock e com as mãos cheias de graxa que Roger de Oliveira, 50, trabalha em mais um triciclo na garagem de sua casa no Bairro Jardim Fazenda Rincão, em Arujá. O novo projeto foi encomendado e já faz três meses que ele monta e remonta as peças do que chama de obra de arte.

Há 15 anos ele começou com a nova modalidade de criar triciclos customizados. O primeiro a ser produzido foi o seu. “Saiu tudo torto, mas era meu primeiro. O que eu mais gostava nele era a autenticidade”, brinca.

Ao falar de sua história, Roger volta no tempo e lembra dos capítulos em que precisou de força para vencer a dependência química. “Era novo, tinha uma vida estável e tudo começou com a bebida”, fala.

Roger lembra que já trabalhou como agente de segurança num condomínio da cidade e ganhava bem, “mas aos poucos fui me afundando no vício e quando percebi já era um dependente químico”, lembra.

Ao resumir parte de sua vida, Roger usa a palavra recomeço. Lembrou da esposa que não o abandonou quando mais precisou, dos filhos e do verão que passou na casa de sua família em Queluz – interior de São Paulo – quando ainda tentava vencer a dependência.

Roger lembra que jogou tudo para o alto, desde emprego a alguns amigos e principalmente o vício, desta vez em medicamentos que retardavam sua síndrome do pânico, que desenvolveu ao longo do tratamento psiquiátrico. “Me empenhei no que eu mais gostava, em construir triciclos”.

Desde então Roger é o criador de obras primas sobre três rodas e o principal nome da região quando o assunto é reunir triciclistas num passeio que já entrou para o livro dos recordes e parou o interior de São Paulo com mais de 110 adeptos no evento chamado a Grande Travessia.

Seu objetivo agora é reunir o maior número de triciclistas em movimento já registrado no Brasil e ser referência no livro dos recordes. “É uma meta que dizem não ser fácil, mas não impossível, só sei que eu vou fazer”, finaliza.