Revisão de contratos gera economia

Por ordem da Prefeita Fábia Porto, a secretaria de Governo abriu novas licitações e, graças a concorrência entre as empresas disponíveis no mercado, Santa Isabel deve economizar recursos destinados a diversos contratos

Cidades Em 26/05/2017 20:10:37

Reportagem: Érica Alcântara

 

A secretária de Governo de Santa Isabel, Noely Costa, revelou esta semana que a revisão e a renovação dos contratos da prefeitura municipal podem representar, no governo de Fábia Porto, uma economia de gastos do dinheiro público. Somente na coleta de lixo a estimativa é de que a municipalidade economize 30% do montante que é pago atualmente à empresa Nova Opção.

“A empresa que atua hoje na cidade presta um bom serviço, mas a concorrência entre as empresas que hoje atuam no mercado é que provoca esta mudança. Em análise ao que é pago em municípios próximos identificamos que pagamos um valor acima da média”, conta Noely.

De acordo com o especialista em finanças, Leandro Leonel, os custos para o mesmo serviço podem diminuir, mesmo em tempo de crise, quando se aplica a Lei da Oferta e da Procura. Oferta é a quantidade do produto disponível em mercado, enquanto procura é o interesse existente em relação ao mesmo. “Se aparece apenas uma empresa para prestar o serviço que a prefeitura necessita, esta pode cobrar o preço que achar melhor, geralmente, valores mais altos. Mas se outras empresas aparecem, a competição entre as prestadoras de serviço promove a redução dos valores”, explica.

De acordo com Noely, a Prefeita solicitou a equipe que avaliasse todos os contratos e fizesse novo certame para novas contratações. O serviço de coleta de lixo venceu o contrato no dia 19 de março e foi prorrogado por 90 dias para que houvesse tempo hábil para executar todos os trâmites legais. “Neste período começamos a cotar com diversas empresas, sete fizeram propostas com grande variedade de valores. A partir daí conseguimos estabelecer a média de preço que deve reduzir os custos até o final da licitação”, comemora.

A Secretária conta o trabalho minucioso de sua pasta que, além de abrir a concorrência, efetuou uma pesquisa de mercado e identificou quais os valores praticados na região.

“Arujá paga cerca de R$116 por tonelada; Suzano R$138; Mogi das Cruzes R$116 e São José dos Campos R$132. O preço pago por Santa Isabel está um pouco acima R$204 por tonelada”, diz Noely.

Há uma série de fatores que foram analisados durante a pesquisa do Governo, Santa Isabel possui aterro na cidade, enquanto Arujá e Mogi não. “Para sermos justos nos apegamos ao mesmo objeto de contrato”, salienta.

Noely ressalta ainda que junto às demais empresas a Nova Opção poderá apresentar sua proposta e participar da concorrência. “Nosso objetivo é ser justo e manter o bom serviço prestado a comunidade”, finaliza.