Tarefa de todos

Por Luís Carlos Corrêa Leite

Colunas & Opiniões Em 27/01/2017 16:47:53

 

A exemplo do que ocorre na cidade de São Paulo, a prefeita recém-empossada de Santa Isabel, Fábia Porto, deve sim continuar com entusiasmo o trabalho de limpeza que vem fazendo na cidade, cujos resultados já podem ser vistos. Mas é preciso (sempre é preciso...) que a população entenda também que o cuidado com a cidade é tarefa de todos, e que os seus moradores não são hospedes a serem servidos pelos serviços públicos, e sim partícipes na tarefa de fazer com que seja possível melhor qualidade de vida para todos. 

O que temos verificado até agora - apesar dos esforços dos prefeitos anteriores - é que a cidade de Santa Isabel tem sido mal cuidada. A começar pela entrada da cidade, em que a Variante que a liga à Rodovia Presidente Dutra está visivelmente saturada, com filas de veículos nas subidas de ambos os lados. Isso sem falar no acostamento precário. Impõe-se urgente melhoramento, com a construção da duplicação ao menos das faixas das subidas. Isso, porém, não é tarefa da prefeita, mas uma obrigação dos deputados que aqui obtiveram votos nas últimas eleições, em especial o deputado André do Prado. Este não se esqueceu das cidades de Guararema, Arujá e Igaratá, que foram brindadas com grandes obras nas Rodovias Albino Neves, Joaquim Simão e a estrada de Mogi das Cruzes. Mas, com relação a Santa Isabel - onde o deputado obteve maior número de votos - nada foi feito. O deputado, derrotado nas últimas eleições municipais, precisa entender que recebeu votos dos moradores da cidade, e que seu compromisso é com estes, independentemente de quem ocupe o cargo de prefeito. 

Ainda nessa entrada, o festejado Portal, construído à época do Prefeito Hélio Buscariolli está abandonado. A madeira está ressecando por falta de uma camada de verniz, e as telhas dos beirais estão caindo, pondo em risco, inclusive, tanto os pedestres como os ocupantes de veículos. Depois, vem o asfalto da parte urbana da Avenida. Está uma lástima, assim como estão as calçadas. Há tempos vê-se uma invasão do leito destas por um tapume de metal, que avançou mais de três metros, destruiu o que restava do passeio e força os pedestres a andarem pela movimentada Avenida. Depois, vem um grande terreno sem uso, que é cercado com arame farpado enferrujado, também colocando os pedestres, especialmente as crianças, sob o risco de contrair tétano em eventual ferimento. 

Não poderia ser construído um muro e calçada pelo proprietário? E o Portal? Não poderia ser adotado por uma empresa?

          Luis Carlos Corrêa Leite