Arujá aprova criação de CEJUSC

Cejusc é uma forma de desafogar o judiciário

Cidades Política Em 17/06/2016 22:48:57

Repórter: Gabriel Dias 

 

Com ânimos ainda acirrados, os vereadores de Arujá solicitaram apoio de três viaturas da Polícia Militar para acompanhar a sessão ordinária do legislativo realizada na segunda-feira, dia 13. Em meio a protestos de populares, eles aprovaram o projeto de Lei 227/2016 que prevê a instalação do Centro Judiciário de Soluções de Conflitos (Cejusc) em Arujá. 

Dr. Wilson destacou que o Cejusc de Santa Isabel é referência em solução de conflitos. Dr. Márcio esclareceu que o Cejusc é uma forma de desafogar o judiciário. Dando fácil acesso à Justiça.

Enquanto na tribuna se falava em solução de conflito, no hall de entrada da Câmara cavaletes de madeira foram instalados para conter o público e os seguranças da Casa bloquearam o acesso aos bancos próximos ao plenário. Moradores se manifestaram pedindo auxílio na legalização de seus imóveis e protestaram contra a falta de abastecimento água. Um cidadão assistiu a sessão com a boca tampada por uma fita adesiva. “Parlamentares me ameaçaram expulsar da Câmara se eu abrisse à boca”, revela. 

Uma semana depois da pancadaria registrada na Câmara de Arujá entre os vereadores Sebastião Vieira Lira (PSDC) - o Paraíba Car e Vicente Nasser do Padro (PR) conhecido como Souzão, o legislativo exigiu dos parlamentares reaver seus princípios de conduta, mas Conselho de Ética ainda não definiu a punição que será aplicada aos edis violentos.