Subestação de abandono e esgoto no Jd. Real

Mato já cobriu unidade de tratamento e água fétida circula ao ar livre pelo bairro

Cidades Em 29/06/2018 21:51:09

Na Rua Curitiba, no Bairro Jardim Real, em Arujá, uma espécie de subestação de tratamento de água está abandonada. O local armazena vários litros de água parada e de cor esverdeada. Semi encoberta pelo mato alto, a unidade tem um portão de acesso trancado e telas de proteção já esgarçadas por supostas invasões.

A água que está na unidade tem forte cheiro de esgoto, e não há um tipo aparente de sistema de segurança no local. A Sabesp informa que a subestação não pertence a ela.

Degradação do Caputera

Em relação a rede de esgoto no Jd. Real, Sabesp e Prefeitura informam que não existe rede coletora de esgoto nesta área. O Córrego Caputera atravessa o Bairro e com ele um odor fétido é parcialmente contido pelo pequeno bosque que se forma entre as ruas Curitiba e São Paulo.  “O sistema de fossa é de responsabilidade de cada morador”, explica a prefeitura, acrescentando: “O Meio Ambiente busca contato com a Sabesp para saber os motivos que dão ao córrego o forte cheiro de esgoto”.

De acordo com a Prefeitura, está previsto no Plano de Saneamento a instalação de rede coletora em todo o Bairro. No entanto, será necessário que a Sabesp conclua a obra do coletor tronco e do interceptor que levará o esgoto da bacia do Caputera até ETE de São Miguel.

Bica d’água poluída

Ainda na Rua Curitiba, uma bica d’água já foi muito usada por moradores do Bairro. Mas o péssimo estado de conservação, levou a Vigilância Sanitária a fazer dois testes pelo Instituto Adolph Luts, que constatou que a água não é potável.

“A comunidade local tem conhecimento, inclusive pela instalação de placas que já foram colocadas e arrancadas do local”, encerra a nota da prefeitura.