Problemas no transporte afetam Educação

Duas horas é o tempo mínimo que muitas crianças do Bairro Jd. Monte Negro em Santa Isabel estão esperando nos pontos de ônibus pela van que deveria levá-las para a escola

Cidades Em 23/02/2018 16:55:40

“É um total desrespeito com os nossos filhos que só querem estudar”, o desabafo é da mãe Angélica Ferreira que, desde o início das aulas em Santa Isabel, tem se virado como pode para garantir que a filha de sete anos não perca um dia de aula. O problema dela se repete também com outras dez famílias do Bairro Monte Negro que ficam mais de duas horas no ponto à espera da van escolar que deveria levar seus filhos à escola.

São mais de dez alunos menores de sete anos que estudam no período da tarde na Escola Municipal Firmino Alves Queluz, situada no Km 8 do Bairro Monte Negro. De acordo com os pais, ainda nas férias todos eles foram até a garagem da Empresa de Transporte Municipal (PEM), fazer o passe escolar dos filhos, porém ninguém foi informado sobre o horário exato em que a van recolheria os alunos: “Desde o primeiro dia de aula (sexta-feira, 16/02), ficamos no ponto por mais de duas horas embaixo de um sol escaldante e a van não tem passado, os moradores aqui do bairro que estão levando os nossos filhos para a escola em seus veículos particulares. Como são muitas crianças eles chegam a fazer até mais de uma viagem”, explica Angélica. 

A volta para casa, após o término da aula, também tem sido outro grande problema para essas famílias, pois os funcionários da PEM se recusam a levar essas crianças para suas casas: “Eles falam que não foram eles que levaram então a gente que se vire para pegá-los na escola, são completamente mal educados e até batem boca com a gente. Quando não contamos com a boa ação de nossos vizinhos a gente é quem busca as crianças a pé na escola”, diz. Depois de caminharem mais de 5 km, pais e filhos chegam em casa completamente cansados. 

De acordo com essas famílias, os próprios motoristas confessaram a eles que o transporte escolar de toda a cidade está comprometido, pois segundo eles, faltou planejamento durante as férias para resolver essa questão antes da volta às aulas. 

A reportagem entrou em contato com a PEM pelos telefones (11) 4656-3631/4657-5752 e até pelo 0800 773 3351, informados no site oficial da própria empresa, mas todos os telefones estavam ocupados ou fora da área de cobertura. Questionamentos sobre este problema, foram enviados também a secretaria Municipal de Educação que até a publicação desta matéria não se manifestou. 

“Pedimos a PEM apenas uma compreensão para que ela acerte definitivamente qual o horário que a van deve passar para recolher e deixar os nossos filhos, pois eles não podem mais continuar chegando atrasados na escola e tarde demais em casa”, finalizam as famílias.