Saúde esclarece sobre febre amarela, vacina e cuidados com macacos

Doença infecciosa aguda causada por picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela, ela não é contagiosa e não pode ser transmitida de pessoa para pessoa e nem de macaco para seres humanos.

Saúde Em 06/11/2017 17:37:59

por Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Arujá

Em virtude de questionamentos feitos por arujaenses que frequentam as unidades de Saúde ou procuram informações junto ao Setor de Zoonoses Municipal, A Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde está orientando sobre a transmissão, os cuidados, a vacinação contra a febre amarela, que não tem casos ou notificações na cidade.

Doença infecciosa aguda causada por picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela, ela não é contagiosa e não pode ser transmitida de pessoa para pessoa e nem de macaco para seres humanos.

Na prática, o vírus da febre amarela possui dois ciclos básicos: urbano e silvestre. No silvestre a transmissão envolve principalmente os macacos e algumas espécies de mosquitos transmissores.

Em área urbana, as principais medidas de prevenção para humanos recomendadas pelo Ministério da Saúde incluem a vacinação de pessoas que vivem ou pretendem viajar para áreas de risco, o que não é o caso de Arujá, e o controle da proliferação dos mosquitos vetores, como o Aedes aegypti. 

Caso ocorra casos de primatas serem encontrados mortos, com comportamento fora do habitual (sem forças para subir em galhos, com movimentação lenta), ou mesmo em aparente perfeita condição, a orientação é comunicar o setor de Zoonoses local e não alimentar, agredir ou capturar o animal, uma vez que ele pode ter outras doenças, como a raiva, por exemplo. Também é importante não movimentar o animal e entrar em contato imediatamente com a Secretaria de Saúde pelo telefone 0800 778 8882.

“Nós temos recebido muitas perguntas sobre o perigo da doença e estamos esclarecendo que Arujá não é uma área de risco e que os macacos são tão vítimas da febre amarela quanto o ser humano. Isso é importante até para evitar que estes animais sejam agredidos por falta de informação”, afirma a veterinária Tássia Ribeiro, do Setor de Zoonoses. 

Vacina

Muito procurada pela população da cidade, a vacinação contra a febre amarela possui critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. O principal é que ela deve ser aplicada somente em pessoas que residem áreas de risco ou que pretendem viajar para estas localidades.

Como Arujá não possui notificações ou casos da doença, não é necessário que os moradores da cidade sejam imunizados.

Sintomas

 

Nos humanos a febre amarela causa ou pode causar infecção aguda, urina escura, dor abdominal com vômito, olhos avermelhados e pele amarelada, sangramento, insuficiência hepática e renal, com risco de levar à morte em aproximadamente uma semana em cerca de 50% dos casos mais graves.