ACISI promove encontro com Prefeita

Mudanças no horário de carga e descarga, regularização do moto-frete e trabalho dos agentes de trânsito temas debatidos e algumas resoluções

Cidades Economia & Negócios Em 05/05/2017 19:49:12

Reportagem: Érica Alcântara

 

Na quarta-feira, 03/05, a prefeita de Santa Isabel, Fábia Porto, participou de um encontro com empresários na sede da Associação Comercial e Industrial de Santa Isabel. 

Carga e descarga

O primeiro tema amplamente debatido foi o horário de carga e descarga. Após a manifestação livre de cada um dos participantes do encontro definiu-se que a Prefeita mandará para a Câmara Municipal uma alteração no Decreto Nº 4.301/2009, que define o horário permitido para este serviço, hoje é permitido das 18h às 8h30, e com a alteração passará a ser permitido das 20h às 10h. Qualquer flagrante de carga e descarga entre 10h01 às 19h59 estará sujeito a penalizações.

“As entregas no período da noite oneram o comerciante, pois são obrigados a pagar hora extra aos seus funcionários”, ressaltou o empresário e presidente da ACISI, Roberto Drumond. Por isso, acordou-se a imediata alteração do horário na parte da manhã e Fábia explicou que já se encontra em licitação um estudo de mobilidade urbana que prevê a análise minuciosa do trânsito. “Seguindo os trâmites legais, nossa expectativa é que dentro de 60 dias este estudo estará pronto. Vamos pedir a empresa que avalie a proposta de vocês para criar bolsões de carga e descarga”, disse.

Os assessores da prefeita chegaram a levantar a questão que um bolsão na Rua Conselheiro Rodrigues Alves afeta diretamente o número de vagas da zona azul. “Contratos podem ser revistos, uma empresa não pode ser maior que o bem estar da maioria dos comerciantes do centro”, defendeu Drumond.

A proposta dos presentes é de que dentro dos bolsões o horário de carga e descarga será 24h livre. O caminhão estacionará nesta área e conduzirá o material até a loja.

 

Moto-fretes e moto-taxis

Um dos temas levantados pela própria Prefeita é a preocupação com relação ao modo como moto-fretes e moto-táxis circulam na cidade. Quanto aos moto-táxis Fábia diz que trabalha na conscientização e informação, mas os moto-fretes, aqueles que fazem entregas de, por exemplo, pizza, água, remédios etc, a prefeitura apresentou uma proposta: - Tornar obrigatória a identificação do comércio em que o motoqueiro está trabalhando. “A ideia é de, numa eventual irregularidade de trânsito, o comércio fosse notificado”, explicaram.

A proposta foi mal recebida, nenhum dos empresários participantes aprovou. O diretor de trânsito, Fernando Nunes, explicou que segundo a Lei 12.009/2009 qualquer motoqueiro que faça serviço de frete deve ter placa vermelha e atender a todos os critérios de segurança contidos na norma. “A maioria não possui placa vermelha, mas a cobrança pela adequação e adoção da placa cabe à prefeitura e sua fiscalização”, disseram os comerciantes, acrescentando: “cobrar a regularização é também um meio de garantir ao consumidor mais segurança”.

Edilaine da Silva Malaquias, diretora de segurança, explicou que há poucos agentes para todo o município e pediu o apoio dos empresários em contratar pessoas devidamente regularizadas, para estimular a mudança no padrão de comportamento que alimenta a informalidade.

A Prefeita informou que avalia a possibilidade do moto-frete ser obrigado a colocar no colete o número da placa da moto, para que fique ainda mais visível a identificação de possíveis contraventores das leis de trânsito. Esta ideia foi bem aceita pela maioria.

 

MIT – terá orçamento participativo

Fábia aproveitou o momento e destacou que o comércio precisa se preparar para mudanças no comportamento dos consumidores. “Pois o município recebeu o título de Município de Interesse Turístico – MIT e deve receber verba, em torno de R$700 mil, para investir no turismo na cidade”, ao ser questionada, Fábia disse que a ACISI poderá participar ativamente da decisão de como este recurso poderá ser gasto, num perfil de orçamento participativo.

 

Flanelinhas e Zona Azul

Quando os comerciantes apontaram o problema da falta de cordialidade dos agentes de trânsito, surgiu igualmente o problema social que envolve os flanelinhas. “Eles não só afugentam os turistas quanto causam constrangimento as pessoas que se sentem vulneráveis diante destas figuras”, lamentaram.

A Prefeita informou que a secretaria de Promoção Social está em vias de colocar em prática um projeto chamado “Recomeço” que visa atender inclusive os flanelinhas que são vítimas do álcool e das drogas. 

Os comerciantes questionaram por que o agentes de trânsito não fiscalizam a ação dos flanelinhas. “Ora se o rapaz cobra para olhar o carro, o motorista está pagando em duplicata pela mesma vaga, paga para a zona azul e para os flanelinhas. Com a mesma autoridade com que multam a falta de cartão da zona azul, deveriam inibir a ação dos cobradores irregulares”.

Fernando disse que toda e qualquer pessoa que se sinta constrangida e/ou ameaçada por um flanelinha pode chamar a Polícia Militar, “é a PM quem deve agir nestes casos”, garante.

 

O Presidente da ACISI agradeceu a presença da Prefeita Fábia. Ela se despediu solicitando que se faça uma ata do encontro, pois garante que tudo que for acordado nestas reuniões será realizado pela prefeitura.

“Abrimos um diálogo que nunca foi feito, o próprio comerciante não participa porque não acredita na cidade, mas com estas novas posturas, cremos que haverá dias melhores”, finalizou. 

 

Notícias Relacionadas