Região: Mais de 3 mil ocorrências criminais em dez meses

Os números levam em consideração os crimes registrados entre janeiro a outubro de 2018

Segurança Pública Em 14/12/2018 19:43:11

por Bruno Martins

Em crimes que variam entre homicídios, lesões corporais, latrocínios, estupro, roubos e furtos, a região registrou entre janeiro a outubro deste ano um total de 3.161 ocorrências criminais. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. 

A cidade com maior número de crimes registrados é Arujá com 1.947. Em dez meses Santa Isabel registrou 992 e Igaratá 222. Furto, roubo e lesão corporal foram à maioria das ocorrências neste período. 

Arujá registrou 493 furtos, seguidos de 309 roubos e 263 lesões corporais. Em Santa Isabel foram 319 furtos, 133 roubos e um total de 142 lesões corporais. Em decorrência do baixo número de moradores os casos de Igaratá são bem menores, analisando a mesma classificação dos crimes, foram registrados 113 furtos, 23 roubos e 26 lesões corporais. 

Apenas Arujá registrou em outubro um caso de latrocínio, que é o roubo seguido de morte, 12 pessoas foram vítimas de homicídio doloso na cidade, seguidos de 8 em Santa Isabel e 2 casos em Igaratá. 

Em casos totais de estupro, somados os casos de vulnerável (situação em que a vítima é menor de 14 anos, ou que possua alguma enfermidade ou deficiência mental que a impeça de oferecer resistência), as cidades registraram juntas 60 casos. Foram 41 em Arujá, 15 em Santa Isabel e 4 em Igaratá. Em todas elas, os casos de vulnerável foram à maioria. 

Em todo o período do ano passado estes municípios registraram juntos 4.104 ocorrências criminais, sendo 2.418 em Arujá, 1.380 em Santa Isabel e 306 em Igaratá. A SSP deverá até o final de janeiro de 2019, concluir todos os crimes registrados nas cidades em 2018. 

Ações da PM ajudam a diminuir a criminalidade

O 1º Tenente da Polícia Militar de Santa Isabel, Ronildo Lopes, ressalta as ações que a PM tem realizado ano após ano, para diminuir cada vez mais os crimes na cidade. “Operações como a ‘Cavalo de Aço’, que são as blitz específicas que fazemos em motos na cidade, tem ajudado a impedir roubos a pedestres e até recuperar celulares e outros pertences roubados. Em outras ações as blitz que fazemos nos portais e centro da cidade nos ajudou também neste ano a recuperar veículos roubados e efetuar prisões de foragidos da justiça”, recorda. 

Em outra importante ação rápida da PM, o Tenente faz questão de ressaltar as prisões feitas no início do ano, quando duas quadrilhas foram presas após assaltar uma loja no centro da cidade. A prisão dos distribuidores de drogas ajudou a PM a apreender vários quilos de drogas, além de altas quantias em dinheiro: “Numa única apreensão recuperamos 15 mil reais que estavam em poder do tráfico”, diz. 

“É importantíssimo destacar que a volta do programa Proerd nos ajudará em um futuro não muito distante diminuir cada vez mais essa criminalidade. Foram mais de 400 crianças formadas em nossa última turma, 400 sementes que formarão cidadãos de bem”, conclui.