Quase invisíveis os bed bugs podem acabar com as férias

Os percevejos de cama, conhecidos como bed bugs, podem causar transtorno para os hóspedes e funcionários de hotéis em todo o mundo

Saúde Turismo & Natureza Em 16/12/2015 14:48:41

Fonte: Divulgação

 

Os últimos meses do ano se aproximam e com eles as tão sonhadas férias. Para quem vai viajar, e quer evitar dores de cabeça, o planejamento é essencial. Todos os detalhes devem ser analisados: meios de transporte, passeios e, principalmente, hospedagens, afinal, uma noite mal dormida pode estragar todo o dia de viagem. Por mais limpos que sejam, hotéis por todo o mundo são sucetíveis a infestações de pragas, como por exemplo, os percevejos de cama, mais conhecidos como bed bugs,que tem dado dor de cabeça para hópedes e hoteleiros ao redor do globo.

Esses parasitas se escondem nas frestas dos móveis, dentro dos colchões e onde mais estejam protegidos da luz para, durante a noite, saírem para se alimentar. Enquanto dorme, uma pessoa pode levar mais de cem picadas de bed bug, e sofrer com sérias irritações na pele. De acordo com a National Pest Management Association (NPMA) foi registrado um aumento de mais de 500% no número de incidentes nos Estados Unidos no último ano. Hoteis de toda a Europa e Austrália também enfrentam esse problema, e no Estado de São Paulo foram detectados infestações em 39 municipios.

“Este tipo de praga é difícil de ser encontrada e controlada, além de implicar em um tratamento caro. Uma vez identificada a infestação, é recomendado retirar e lavar as roupas de cama, tapetes e vestuários em água quente (80ºC), além disso, é necessários aplicar inseticida em todo o ambiente, gavetas, frestas, nenhum lugar deve ser esquecido”, diz Fernando Bernardine, Entomologista e coordenador de Desenvolvimento de Produtos da unidade de Saúde Ambiental da Bayer CropScience para o Brasil e América Latina.

Para evitar problemas com pragas é necessário que os estabelecimentos estejam em dia com os alvarás de funcionamento da Agência Nacional de Vigilância Satinitária (ANVISA), que orienta desde a escolha dos produtos de limpeza, até a conduta de vestimenta dos funcionários. É importante, também, que haja um programa periódico de desensetização química, feito por empresas especializadas para prevenir o desenvolvimento de colônias do inseto.

 

Qual o papel dos hospedes?

“Antes de se acomodar, é importante que o turista retire a roupa de cama e verifique as costuras colchões, principalmente nas quinas. Se for visto alguma falha na costura ou pontos pretos na região é necessário alertar a recepção e pedir a troca de quarto, pois estes são sinais característicos de um ataque de bed bug”, alerta Bernardini.

Cuidar da limpeza do hotel é responsabilidade da administração do estabelecimento, mas os hóspedes também podem contribuir para uma estadia mais agradável. Os bed bugs são uma praga de grande mobilidade e se espalham pelo mundo todo viajando junto com a bagagem dos turistas, principalmente de mochileiros que tem o hábito de passar por vários lugares em curtos espaços de tempo. O entomologista da Bayer, Fernando Bernadini, recomenda que os hóspedes evitem colocar a bagagem em cima das camas e espalhar as suas roupas, este tipo de comportamento é um dos principais dissemidores da praga.

 

Se cada um fizer a sua parte todo aproveitam estadia. Informe-se, e boa viagem!