Quarentena decretada pelo governo estadual afeta comércio não essencial em Arujá

A partir desta terça-feira (24/03), os comércios não essenciais devem permanecer fechados por 15 dias em Arujá

Segurança Pública Saúde Em 23/03/2020 21:18:22
 

 

       A partir desta terça-feira (24/03), os comércios não essenciais devem permanecer fechados por 15 dias em Arujá. É o que determina o Governo do Estado de São Paulo e o decreto municipal nº 7.342, assinado pelo prefeito José Luiz Monteiro no último sábado (21). O descumprimento da medida pode acarretar notificações, multas e interdições.

         No entanto, a determinação não afeta as atividades desempenhadas internamente pelos empreendimentos, assim como não impede as transações comerciais executadas por meio de aplicativos, internet, telefone e outros recursos e serviços de entrega de mercadorias, como o delivery.

      Tal determinação não se aplica também aos estabelecimentos considerados essenciais, que são aqueles fundamentais para a alimentação e saúde, como farmácias, supermercados, açougues, feiras livres, casas de ração, distribuidores de gás, lojas de venda de água mineral, padarias e clínicas de atendimento na área da saúde.

        Entram nessa lista, ainda, os postos de combustível, rede lotérica, agências bancárias, funerárias, oficinas mecânicas e outros que vierem a ser definidos pelo Comitê Administrativo Extraordinário COVID-19, sob aprovação da Secretaria Municipal de Saúde.

         A quarentena declarada pelo Governo Estadual e pela Prefeitura de Arujá será válida até 7 de abril.