Quadrilha que invadiu Guararema pode ser a mesma que aterrorizou Igaratá

Ontem foram presos mais três indivíduos, o que estava escondido na mata e duas mulheres (namorada e irmã) que tentaram resgatá-los. Foram presos graças ao apoio também da Polícia Ambiental

Segurança Pública Em 05/04/2019 21:49:52

O modo de ação dos bandidos era o mesmo, o ataque de madrugada fechava as principais ruas de acesso das agências bancárias. O alvo é uma cidade do interior com poucos habitantes e, portanto, pouco efetivo policial. O grupo agia rapidamente, fortemente armado entrava nas agências e, após explosão calculada, roubava os caixas eletrônicos. Foi o que aconteceu em Igaratá em 2013 e 2017. Mas na quinta-feira passada, 04/04/2019, em Guararema, essa história mudou. Até ontem, dia 05/04, foram 11 assaltantes mortos e quatro presos.

O Gaeco (Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) já estava no encalço da quadrilha e pediu o apoio da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar). Quando os bandidos deram início a ação, mais de 110 agentes da Polícia Militar cercaram a cidade com viaturas que vinham da capital, de Mogi das Cruzes e de Jacareí.

Uma perseguição cinematográfica se desenrolou, cinco carros blindados foram utilizados pelos bandidos que, vestidos de coletes a prova de balas e munidos com fuzil e pistolas em mãos abriram fogo contra a Polícia. Os militares responderam a ofensiva num esquema tático que garantiu a segurança e a vida não só dos PMs, mas da população local que reconhecidamente pacata, ouvia de dentro dos lares trêmulos de medo o romper do dia com rajadas de tiros.

Há suspeita de que a quadrilha era composta por 25 integrantes e o sucesso no combate ao crime se deve, também, a uma extensa e aprofundada investigação que inclui rastreamento de celulares, escutas telefônicas e monitoramento da cidade por câmeras de segurança, sistema acionado para procurar e identificar os fugitivos.

A operação foi integrada ROTA, COE (Centro de Operações Especiais), GAECO e o 17° BPM/M, e ainda contou com a Polícia Ambiental para adentrar a mata, onde os fugitivos tentaram se esconder. Foram 10 armas apreendidas, fuzil e pistola.

A assessoria de imprensa do MP diz que as investigações são sigilosas e continuam em andamento.