Quadrilha furtou milhões na região de Arujá e Santa Isabel

Bandidos tinham conhecimento técnico avançado para furtar combustível da Petrobras

Segurança Pública Em 05/07/2019 22:20:54

Um prejuízo de pelo menos quatro milhões de reais, fora as perfurações ainda não descobertas pelas investigações. Na segunda-feira, 01/07, a Polícia Civil do Estado de São Paulo, Núcleo de Roubo de Cargas da Delegacia Secional de Guarulhos, deteve os comandantes da quadrilha responsável pelo furto de combustível na região de Guarulhos, Arujá, Guararema e Santa Isabel.

Segundo o delegado Dr. Milton Burguese de Oliveira, a quadrilha não se contentava em furtar o combustível, eles ainda adulteravam o material antes de distribuir para a venda, geralmente realizada em postos de combustível cientes da origem ilícita do produto. 

Entre os presos estão dois técnicos da Petrobras, que possivelmente ajudavam com informações privilegiadas e maquiavam a fiscalização da empresa nos níveis de pressão da tubulação, três donos de postos de gasolina, um rapaz que atuava como administrador da distribuição, José Matias o líder operacional e Marcos Miranda, líder do bando.

Dr. Milton Burguese contou em entrevista coletiva realizada na sede da Delegacia Seccional de Guarulhos que se estima que a quadrilha atua desde 2016, colocando em risco a vida de diversas famílias, residentes no entorno das perfurações criminosas que o bando fazia na tubulação da Petrobras. “Todas as vezes que eram realizadas perfurações havia a presença de solda e calor no duto, o que poderia ter gerado explosões”, completou.

De fato, em fevereiro de 2018, um vazamento de combustível em decorrência da tentativa de furto nos dutos da Transpetro, no Bairro do Itapeti, em Santa Isabel, retirou 15 famílias de suas propriedades. 

“Cada perfuração resultou num prejuízo de R$300 a R$400 mil e até o momento foram identificadas cerca de 10 perfurações. Foram furtados entre 5 e 7 mil litros de combustível por ação criminosa. Os alvos da quadrilha eram nafta, diesel, gasolina, álcool e querosene de aviação”, disse o Delegado.

Há quatro foragidos, mas que a Polícia identificou como funcionários braçais do crime.

Participaram da operação 130 policiais civis, com o apoio de 50 viaturas. Foram cumpridos 45 mandados de busca e apreensão nas residências e estabelecimentos ligados aos suspeitos. Em nove postos fiscalizados, foram apreendidos computadores, veículos, valores em dinheiro, pen drives, celulares, tablets e documentos que comprovam a participação dos investigados.