Prefeituras se unem para derrubar o barraco

As prefeituras de Arujá e Santa Isabel despejaram posseiros de área de compensação ambiental, mas invasores tem documentos que eles garantem que comprovam a posse do terreno

Segurança Pública Turismo & Natureza Cidades Em 29/04/2016 20:30:55

Reportagem: Bruno Martins

 

Na quinta-feira, dia 28, as prefeituras de Arujá e Santa Isabel, em uma ação conjunta, despejaram uma família e demoliram um barraco construído no Bairro Pedra Branca em uma área de compensação ambiental. Embora fique dentro do município de Santa Isabel, a proprietária da área é a municipalidade arujaense que, conforme denúncia publicada na edição 1069 do Jornal Ouvidor, supostamente abandonou o local a própria sorte e posseiros passaram a loteá-la irregularmente.

Com 16 milhões/m² o latifúndio foi comprado por Arujá em 2010, para compensação ambiental pela regularização fundiária do Bairro Pq. Rodrigo Barreto e a construção do trecho norte do Rodoanel Mário Covas. Contudo, desde 2014 a área vem sendo ocupada por posseiros. A Cetesb - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo já confirmou que trata-se de crime ambiental, mas Arujá enfrenta um impasse, pois os prováveis invasores, que acompanharam a ação, também possuem documentos que comprovam serem donos de lotes dentro da mesma área arujaense.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Polícia de Santa Isabel por um dos ocupantes que teve seu imóvel destruído por retroescavadeiras utilizadas na ação. Os fiscais abriram buracos na estrada com o objetivo de dificultar o acesso dos posseiros.  A prefeitura informou que já entrou com o pedido de reintegração de posse, mas que aguarda a decisão judicial.  

A Polícia Militar de Santa Isabel e a Guarda Municipal de Arujá acompanharam o trabalho dos fiscais públicos.