Prefeitura mantém corte de transporte escolar

Estudantes do Bairro Ferreirinhas, de Nazaré Paulista, que estudam em Igaratá não conseguem ir às aulas, pois o Prefeito Elzo de Souza cortou o transporte escolar que oferecia a eles

Educação Em 16/02/2013 12:24:54

A falta de transporte escolar para os estudantes do Bairro Ferreirinhas, de Nazaré Paulista, que estão matriculados em unidades de ensino de Igaratá, foi um dos temas mais discutidos na última sessão de câmara. A convite dos vereadores de Igaratá, a reportagem do jornal O Ouvidor esteve no bairro para ouvir a população.

Seguindo pela Rodovia Dom Pedro I sentindo Igaratá para Nazaré Paulista, pega-se um acesso muito além da entrada do Bairro da Boa Vista que se segue até o Bairro dos Ferreirinhas. A estrada é precária, repleto de buracos, crateras cobertas de lama, curvas acentuadas quase encobertas pela vegetação e nenhuma sinalização. Para um motorista inexperiente é impossível saber em qual via entrar e onde começa ou termina o território de Igaratá.

Quando se chega ao Bairro dos Ferreirinhas o descaso da Prefeitura de Nazaré Paulista é o que, para os moradores, mais aumenta o sofrimento das pessoas que optaram por viver no campo. A idosa Maria de Lourdes Cantadeira, 65 anos, diz que o ônibus coletivo que circula no bairro é o mesmo que leva os estudantes pela estrada perigosa, “agora tem monitor, mas ele não pode obrigar os passageiros a se levantarem para acomodar as crianças. Além disso, os estudantes tem de contar com o motorista para evitar que bêbados adentrem o coletivo, mas ele não impede que estranhos circulem com nossos filhos e netos”, conta.

Maria de Lourdes revela que precisa percorrer mais de dois quilômetros para dispensar os resíduos domésticos, pois no bairro não há coleta de lixo, “e nós acreditamos que não é possível queimar tudo”, reclama, acrescentando “aqui o povo sofre”, lamenta. Até mesmo a telefonia, diz a idosa, não funciona mais “eu tinha um telefone rural que  depois que acrescentaram um nove nos números celulares, ele nunca mais funcionou. A própria atendente da empresa me disse para cancelar o serviço, então vivemos isolados”, diz.

Os estudantes do Ferreirinhas dizem que as escolas de Igaratá são mais próximas de suas casas que as do centro de Nazaré Paulista, então eles optam por estudar no município vizinho “que nos fornece transporte há mais de ano”, dizem. Para eles não há uma explicação sobre o que promoveu o corte do transporte, “uns dizem que foi a prefeitura de Nazaré que não quer mais que o transporte escolar de Igaratá entre no bairro, outros afirmam que é por causa de denúncias contra a prefeitura, ninguém esclarece de fato o que ocasionou o problema”, reclamam.

Segundo a estudante e moradora do Bairro, S. C., de 17 anos, “há cerca de um mês soltaram um boato de que o prefeito Elzo iria cortar o transporte, muitos não acreditaram, mas eu resolvi não arriscar mesmo o meu título eleitoral sendo em Igaratá, resolvi mudar minha matrícula para Nazaré Paulista”, diz.

Segundo informações há duas escolas municipais de ensino fundamental próximas a estes estudantes, a do Bairro dos Ferreirinhas, atualmente cercada pelo mato alto, e do Bairro do Divininho, próxima a Rodovia Dom Pedro I. Contudo, com a facilidade do transporte escolar oferecido pela Prefeitura de Igaratá, que proporcionava uma van para o bairro, pouco mais de 30 estudantes migraram para unidades de ensino na cidade vizinha, “para nós é bem mais perto estudar na Boa Vista”, diz S..

Quando, na última sessão da Câmara,  o vereador Moacir Prianti solicitou que o Prefeito Elzo de Souza restabelecesse o transporte destas crianças, fez questão de ressaltar e repetir mais de três vezes que o fato de defender estes estudantes não significa que se tornou oposição. Contudo, em sua indicação, o vereador afirma que os estudantes sem transporte residem, na verdade, dentro do município de Igaratá, no Bairro da Boa Vista.

O vereador Gilmar Aparecido informou que “denúncias no Ministério Público levaram ao corte do transporte, mas não há irregularidades, o Prefeito tem tudo documentado”, garante. “Se está documentado por que cortou o transporte?”, questiona o colega Benjamim de Lima.

Enquanto os motivos não ficam claros para os moradores, os vereadores trocam acusações e uma CEI - Comissão Especial de Inquérito avalia supostas irregularidades no transporte. 

Os vereadores da situação garantem que, através de parceria com a Prefeitura de Nazaré Paulista, solucionaram o caso. Mas não informaram aos estudantes que “os repasses de recursos do Governo Federal são encaminhados para os municípios pelo número de matrículas de estudantes, o que isenta a Prefeitura de Nazaré da responsabilidade de levá-los ao município limítrofe que recebe para isso”, diz um especialista.

Até o fechamento desta edição a assessoria de imprensa da Prefeitura de Nazaré Paulista não retornou os contatos feitos pela equipe de reportagem.