Polícia prende assassinos do Parque Alpina

“Ele suplicou para viver e ver os netos crescerem”, revelou um dos assassinos

Segurança Pública Em 01/07/2016 20:22:45

 

Em menos de 30 dias a Polícia Civil de Igaratá, com o apoio da Polícia Militar, prendeu os adolescentes de 18 e 19 anos, Deivson Pereira Rodrigues e Gabriel dos Santos Oliveira pelo brutal assassinato do idoso José Vitor de 75 anos. Após 20 minutos de interrogatório eles revelaram detalhes do crime bárbaro que chocou a população igarataense.

Conhecido como Zé Borracha, o Idoso foi assassinado com 11 facadas ininterruptas no peito e abdômen. Foi morto mesmo depois de já ter sido imobilizado e estar semi-inconsciente, sentado em uma poltrona dentro do seu estabelecimento comercial, no Bairro Parque Alpina, em Igaratá. “Deivson disse que a gente tinha que matar, porque ele ia reconhecer a gente. Eu não quis matar, só peguei a faca e entreguei para ele”, contou Gabriel aos policiais.

Nas filmagens, Deivson segura o comerciante por trás e olha para os lados antes de friamente desferir os golpes mortais.

Os bandidos roubaram cerca de R$300,00 do caixa, algumas cervejas, pacotes de cigarro e caixas de fósforo. Eles sabiam que havia câmera de segurança, Deivson chegou a encarar o aparelho de filmagem que ao final do crime foi arrancado e jogado num barranco dentro de uma sacola. 

Testemunhas viram três jovens escondendo uma caixa de cerveja em um terreno baldio, nela ficaram marcas de sangue, a principal pista para a polícia rastrear os criminosos. O terceiro elemento é o menor E.S.G., de 17 anos, que sabia dos planos dos assaltantes, não fez nada para impedir e ainda ajudou a ocultar os objetos roubados, por isso a polícia continua a sua procura.

Aparentemente o sangue nas garrafas não era da vítima, ao tentar se defender, Zé Borracha feriu Deivson com uma marreta, que ficou com um corte na cabeça. Além disso, na primeira tentativa de esfaquear o comerciante, a faca correu por entre os dedos de Deivson cortando as mãos do criminoso. 

O meliante precisou ser levado ao Posto de Saúde, onde informou que havia sofrido um acidente de trabalho e caído de uma laje. Os ferimentos não correspondiam ao discurso e a soma destas evidências levaram a investigação da Polícia Civil à prisão dos jovens. 

Os jovens foram presos no Parque Alpina, Deivson na casa do namorado e Gabriel na casa de familiares. Eles contaram aonde jogaram o equipamento de segurança e um policial militar, com habilidade e equipamento de rapel, conseguiu descer o barranco recuperar o aparelho ainda com o registro de toda a ação dos criminosos. Após confessarem o crime, eles foram encaminhados a Cadeia Pública de Jacareí, aonde aguaram as definições da Justiça.

Durante a captura dos adolescentes em uma das casas a Polícia Civil encontrou 52,54 gramas de cocaína e produtos farmacêuticos como 46 ampolas de morfina, 690 de epinefrina e 16 de lidocaína. O suspeito D.B. N.P. assumiu que era proprietário das drogas e que as encontrou na rua, mas resolveu manter consigo para vender. Ele foi preso e levado ao Centro de Triagem do Primeiro Distrito Policial de Jacareí.