Polícia investiga homicídios em Santa Isabel

Fim de semana sangrento. No mesmo dia duas pessoas foram assassinadas na cidade, a polícia investiga as causas e pede para que quem tiver qualquer informação sobre os casos denuncie

Segurança Pública Em 14/10/2016 19:37:51

Reportagem: Bruno Martins

 

Dois homens foram mortos no sábado, 08/10, em Santa Isabel. O primeiro crime ocorreu no Bairro Varadouro, um idoso de 74 anos foi brutalmente assassinado com um golpe de picareta na cabeça. O segundo caso, ocorreu no centro, um morador de rua de 32 anos foi atacado embaixo de uma marquise na Avenida Manoel Ferraz de Campos Sales com ferimentos na cabeça, pescoço e tórax. A polícia acredita que não há ligação nos casos, mas levanta provas e espera prender o quanto antes os responsáveis. 

Adail Divino da Silva, 74, supostamente dormia quando, na madrugada de sábado, 08, quebraram uma vidraça e entraram em sua casa, golpeando o idoso na cabeça. O corpo foi encontrado na manhã do mesmo dia por um vizinho: “Não temos certeza ainda, mas aparentemente a vítima sequer ouviu o momento em que entraram na sua casa, deram apenas um golpe na cabeça, recolhemos uma ferramenta picareta que estava com marcas de sangue e será encaminhada para a perícia”, explica o delegado Titular de Polícia de Santa Isabel”, diz Dr. Carlos Alberto de Oliveira. 

12 horas depois da polícia iniciar as investigações da ocorrência do Bairro Varadouro, Ricardo Rodrigues Neves, 32, dormia embaixo de uma marquise em frente a agência dos Correios, centro da cidade, quando foi atacado. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a socorrer a vítima que apresentava escoriações causadas por objeto cortante na cabeça, pescoço e tórax. Nenhuma arma que possa ter sido usada na ação foi encontrada no local pelos policiais. Ricardo na resistiu aos ferimentos e morreu minutos depois de dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).  

É o quarto homicídio registrado em Santa Isabel neste ano, mesmo número registrado pela cidade em todo o período do ano passado. O Delegado ressalta que tanto a Polícia Civil, quanto a Militar trabalham para evitar que crimes como este e de qualquer outra natureza continuem a acontecer: “As pessoas não precisam se apavorar, pois embora os casos tenham ocorrido no mesmo dia as causas dos crimes foram distintas, estamos colhendo provas que nos ajudarão a desvendar os casos e quem tiver alguma informação pode entrar em contato através do 190 da Polícia Militar ou pelo 181 do Disque Denúncia”, finaliza Dr. Carlos.