Polícia Federal investiga fraude dentro da Prefeitura

Se comprovadas, as fraudes podem anular o concurso realizado pela Prefeitura de Igaratá em 2009

Política Em 15/03/2019 21:21:41

Um concurso público realizado em 2009 visando a contratação de funcionários para a Prefeitura de Igaratá pode estar contaminado por irregularidades descobertas pela Polícia Federal. O início da meada foi a retenção de um motorista de ambulância pela Polícia Rodoviária Federal em setembro do ano passado. Ao verificar a documentação do funcionário, a Polícia constatou que a categoria registrada no documento não corresponde a real habilitação do profissional.

Essa semana um funcionário de direção da área de transportes da saúde foi convocado pela Polícia Federal para explicar o processo que resultou na contratação do motorista. Ao inquirir o motivo, tomou conhecimento da falsidade do documento. A habilitação do funcionário é para dirigir na condição da categoria “B” (carros de passeio), contudo, em sua CNH (Carteira Nacional de Habilitação), consta como habilitado para a categoria “A/D” (caminhões e coletivos).

Ao verificar a documentação do motorista no sistema de Recursos Humanos da administração municipal constatou-se que, de fato, a CNH consta “A/D”, mas nos arquivos do DETRAN (Departamento de Transito do Estado), a habilitação é para dirigir apenas veículos leves (categoria B). Segundo o RH da Prefeitura, o funcionário prestou concurso em 2009 e foi convocado para prestar serviços ao município naquele mesmo ano. 

O Prefeito Celso Palau observa que, por ocasião da realização do concurso, diversos concorrentes apontaram para a facilidade com que alguns candidatos concluíram suas provas e, posteriormente, a rapidez como haviam sido contratados. – É possível que, pondera o prefeito, esse seja apenas um dos candidatos que tiveram sua contratação facilitada à época do concurso. Esse fato abre precedente para que voltemos a examinar o resultado do concurso que foi tão contestado em 2009.

Palau observa que essa verificação é importante até mesmo para saber se esse é um caso isolado, planejado e executado pelo próprio funcionário, ou se houveram outras fraudes burlando o concurso. – Por enquanto acreditamos na hipótese de um caso isolado, mas as nossas verificações e o trabalho da Polícia Federal vão eliminar as suspeitas.

Concurso em risco

A adulteração da CNH é um crime de natureza federal e dependendo do resultado das investigações pode resultar no cancelamento do concurso de 2009 se forem comprovadas outras formas de burla a documentos.

E mais, caso os candidatos reprovados em 2009 entrem na Justiça para pedir a revisão do concurso, todo ele poderá ser anulado, possivelmente provocando uma onda histórica de desligamentos do serviço público por fraudes realizadas em Igaratá, durante a gestão do então prefeito Elzo de Sousa (PR).